Coluna Acre em Foco

Depoimento de Lula

Apesar de pouco movimento político da sexta-feira em Brasília, o clima nas hostes petistas ontem no Congresso era de espanto com a notícia de que a Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pegar o depoimento do ex-presidente Lula na Operação Lava Jato.

 

Presunção de delatores

O espanto veio da principal razão apresentada pela Polícia Federal para Lula depor e esquentar o escândalo da Lava Jato para cima do governo Dilma. O pedido para ouvir Lula é baseado apenas na presunção feita pelos dois principais delatores presos pela Lava Jato, o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Yousseff.

 

Ilegalidades

Segundo a mídia, no documento em que a Polícia Federal pede permissão para ouvir o depoimento de Lula está dito que os dois bandidos delatores apenas “presumem” que Lula esteja envolvido de alguma forma nas ilegalidades apuradas pela Lava Jato.

 

Sem prova concreta

E o documento acrescenta que os dois principais ladrões da Lava Jato não têm prova concreta alguma para incriminar o ex-presidente mais bem avaliado da história do Brasil, que não comentou o assunto por se encontrar fora do Brasil e por desconhecer o teor documento de convocação.

 

Orquestração

Ou seja, a Polícia Federal quer dar agora mais um passo adiante na orquestração comandada semanalmente pela mídia e pelo juiz Sérgio Moro para, ao investigar e prender apenas autoridades e políticos ligados ao PT, desgastar no que puder o governo da presidente Dilma, ampliando ainda mais o clima favorável ao seu impeachment.

 

Cena hipócrita

O interessante é que a notícia do pedido de convocação de Lula para depor na Lava Jato veio a público exatamente no dia seguinte à cena hipócrita patrocinada pela oposição, que recheada de gente envolvida com corrupção inaugura na maior cara de pau o movimento pró-impeachment da presidente Dilma.

 

Avaliação de risco

A notícia da convocação de Lula também veio depois de dois dias que uma das principais agências de avaliação do risco especulativo do capitalismo dizer que o Brasil entrou na faixa dos países potencialmente caloteiros, não sendo mais confiáveis para investimentos.

 

Agouros contra o país

Ou seja, os orquestradores do golpe contra Dilma, com o apoio de grande parte da mídia, que também anda louquinha para derrubar o atual governo, ampliaram de forma significativa, em apenas dois dias, os agouros econômicos e políticos contra o país para tentar cercar e encurralar de vez a presidente.

Beligerância

O clima anti-Dilma em Brasília e no restante do país está crescendo e, se depender da oposição, vai se tornar de total beligerância contra tudo e contra todos que possam lutar pelo respeito ao estado democrático de direito, que permita ela continuar governando o país.

 

Bater mais forte

Para isso, a ordem cega das bandas do juiz Sérgio Moro, dos procuradores da República e dos delegados federais anti-petistas, da távola redonda da Lava Jato, que não pegaram sequer um único depoimento de políticos da oposição envolvidos no esquema de propina da Petrobras, é bater. E bater cada vez mais forte daqui para a frente.

 

Mentiras plantadas

Ou seja, os próximos dias, semanas e meses vão ser de tudo ou nada para a oposição, que vai tentar o que for possível, até mesmo mentiras plantadas na parte golpista da mídia, para afundar o máximo que for possível o país, criando clima insustentável para Dilma, o PT, Lula e sua pré-candidatura em 2018.