Coluna Acre em Foco

Agendas de Tião

O governador Tião Viana teve ontem em Brasília duas importantes agendas para o Acre. A primeira foi com a direção-geral do Dnit para aparar as arestas que impeçam a aceleração dos trabalhos de recuperação da pavimentação da BR-364, entre Sena Madureira e Cruzeiro do Sul.

 

Fundo de investimento

A segunda agenda do governador se deu com o vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Antônio Carlos Ferreira, com quem discutiu, juntamente com o governador do Piauí, Wellington Dias, a participação da instituição na formação de um Fundo de R$ 200 milhões para investimentos na agricultura dos dois estados.

 

Agroindustrialização

Tanto o Acre quanto o Piauí estão interessados em expandir ainda mais a agroindustrialização dos dois estados, que no Acre vem se dando nas áreas da piscicultura, suinocultura, avicultura e caprinocultura e na produção de frutas tropicais e de produtos agroflorestais.

 

Apagões em discussão

O Portal G1, da Globo.com, destacou ontem que a Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) deve realizar uma audiência pública para discutir as falhas no fornecimento de energia elétrica para o estado, segundo requerimento apresentado e aprovado pela deputada Juliana Rodrigues (PRB-AC).

 

Muitos prejuízos

“Queremos que a Eletrobras se explique a respeito desses apagões, porque estão causando muitos prejuízos, e também que apresente soluções. Porque só explicação não vai resolver”, disse a parlamentar, ao confessar que também sofreu com os transtornos causados pela falta de energia no estado.

 

12 mil frangos

O site Avicultura Industrial destacou o prejuízo de cerca de R$ 134 mil que a empresa de avicultura Acreaves, do município de Brasiléia, teve com a morte de 12 mil frangos por causa dos apagões que ocorreram no estado na sexta-feira e no domingo passados.

 

Calor matou frangos

Segundo o diretor de produção da Acreaves, Luiz Fernando, os animais teriam morrido por causa do calor, depois que os apagões causaram o desligamento dos aparelhos que controlam as temperaturas nas estufas de criação das aves, com prejuízos de 22,5 mil quilos de frangos jogados no lixo.

 

PEC da bengala

A Câmara dos Deputados aprovou ontem projeto de lei do Senado que regulamenta a aposentadoria compulsória aos 75 anos de idade. Atualmente, a aposentadoria compulsória para os servidores públicos ocorre aos 70 anos. Pela proposta, a idade passa para 75 anos no caso dos servidores públicos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.

 

Idade maior

O projeto decorreu da Emenda Constitucional 88/2015 (Emenda da Bengala), que aumentou de 70 para 75 anos a idade limite para aposentadoria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), dos demais tribunais superiores e do Tribunal de Contas da União (TCU).

 

Reforma ministerial

A presidenta Dilma Rousseff continuou ontem a discutir reforma que fará nos ministérios, após se encontrar com a cúpula de partidos aliados, o PT, PMDB e PDT. No final da tarde, ela se reuniu com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto e com o titular do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

 

Reunião com PMDB

Ao longo de todo o dia, a presidenta manteve reuniões reservadas com as principais lideranças de alguns partidos da base, entre eles o PMDB e o PT. Além do vice-presidente Michel Temer, presidente nacional do PMDB, estiveram presentes os líderes do partido na Câmara, Leonardo Picciani (RJ), e no Senado, Eunício Oliveira (CE).