Coluna Acre em Foco

Sérgio Moro mentiu

O noticiário da crise brasileira após o golpe parlamentar contra o mandato legítimo da presidenta Dilma Defesa destacou ontem a afirmação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que, ao aceitar a denúncia do Ministério Público Federal contra Lula no caso do tríplex no Guarujá, o juiz Sérgio Moro considerou fatos que “simplesmente não correspondem à verdade”.

 

Defesa de Lula

“Assim como fez com todos os antigos cooperados que não optaram por assinar um contrato de compra e venda com a OAS para adquirir o imóvel que vinham pagando à Bancoop, a construtora assumiu o imóvel reservado para eles (o 141), diante da não adesão do compromisso”, assinala a defesa de Lula.

 

Tudo documentado

Segundo a defesa do ex-presidente, Lula e dona Marisa cobraram, sim, o dinheiro que já tinham gasto, está tudo documentado e já foi entregue pela Defesa do ex-presidente a Sérgio Moro. Os advogados de Lula ressaltam que Moro aceitou uma denúncia “cheia de falhas graves, algumas delas agravadas pelo próprio magistrado”.

 

Lula está limpo

Enquanto isso, em resposta ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), a pedido da defesa de Lula, a força-tarefa da Operação Lava Jato confirmou o papel do ex-presidente como líder da organização criminosa, mas afirma que, no caso do crime de corrupção, este foi praticado por meio de subalternos, sem que o líder do esquema tenha, diretamente, “sujado as mãos”.

 

Espetáculo midiático

Os procuradores da Operação Lava Jato foram denunciados ao CNMP pelos advogados de Lula após a coletiva que deram no Paraná acusando o ex-presidente de comandar o esquema, num espetáculo midiático muito criticado interna e externamente por não apresentar sequer uma prova concreta contra Lula, mas apenas “convicção” de ele é culpado do esquema de corrupção em seu governo.

 

Dilma denuncia

Outro destaque no noticiário desta sexta-feira, também de grande repercussão nas redes sociais, foi a crítica que a ex-presidenta Dilma Rousseff fez em evento em Montevidéu, no Uruguai, ao que considera um processo que tem por objetivo “reverter” as conquistas sociais no continente latino-americano.

 

Conquistas sociais

“Querem reverter todas as conquistas sociais. Me preocupa muito que este seja um processo que tenha uma característica continental”, afirmou, em discurso na “Jornada Continental pela Democracia e contra o Neoliberalismo”, organizado por centrais sindicais daquele país vizinho do Brasil.

 

Perversa desigualdade

Segundo Dilma Rousseff, há pessoas que querem “continuar com a mais perversa desigualdade”. Ao defender os governos de esquerda da região, a ex-presidenta destacou que “na América Latina, houve ganhos dos trabalhadores mais pobres, apesar de isso não ter acabado com a desigualdade”. Vítima de um golpe parlamentar, Dilma será declarada cidadã ilustre de Montevidéu.

 

Wagner Moura

Outro destaque veiculado ontem nas redes sociais brasileiras foi o vídeo em que o ator Wagner Moura manifestou “absoluto repúdio” à invasão pela polícia à Escola Florestan Fernandes, do MST, em Guararema, São Paulo, episódio ocorrido no decorrer da manhã desta sexta-feira 4.

 

Estado de exceção

“Se alguém tinha dúvida de que o Brasil vive um estado de exceção, um estado policialesco, a invasão na Escola Florestan Fernandes pela polícia é uma demonstração covarde de truculência, típica de regime de exceção”, disse Moura, ao se referir aos excessos que vem sendo cometidos pela Polícia Militar do governo tucano de Geraldo Alckmin.

 

Democracia suspensa

O cantor e compositor Lirinha também gravou um depoimento contra a ação truculenta; “Mais uma prova de que estamos num estado de suspensão da democracia”, disse. Na invasão, policiais do governo tucano de Geraldo Alckmin derrubaram portão, pularam janela e entraram atirando na escola, que tinha estudantes no momento.