Coluna Acre em Foco

Vazante do rio

         O destaque do Acre ontem na mídia nacional foi dado pelo Portal G1, da Globo.com, ao informar que após a vazante do rio Acre, a Eletrobras normalizou o fornecimento de energia em todas as 34.597 unidades consumidoras afetadas pela cheia no estado.

Segurança das famílias

O serviço foi finalizado na quinta-feira e, segundo a distribuidora, foi necessário suspender a energia para garantir a segurança das famílias e das equipes que trabalhavam nas áreas atingidas pela cheia. Mesmo com as medidas, ao menos três pessoas morreram por descarga elétrica.

PSDB ameaça saúde

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, classificou ontem de “verdadeiro atentado” ao Programa Mais Médicos a proposta de autoria do PSDB, em tramitação no Senado Federal, de invalidar o termo de cooperação firmado pelo governo brasileiro e a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Sem assistência médica

Segundo o ministro, se a mudança for aprovada, cerca de 63 milhões de brasileiros podem ficar sem assistência médica em todo o país. “O projeto de decreto legislativo da liderança do PSDB é um verdadeiro atentado ao programa, ele significa a derrocada do Mais Médicos”, completou o ministro.

11 mil médicos a menos

Para Arthur Chioro, se o decreto legislativo do PSDB entrar em vigor, o país perde imediatamente 11.487 médicos, que são os profissionais cubanos engajados no programa. “Não consigo entender como alguém comprometido com a saúde pública proponha algo assim”, destacou o ministro.

Decreto legislativo

O ministro da Saúde se referiu ao Projeto de Decreto Legislativo 33/2015 apresentado no Senado Federal na última segunda-feira. De autoria dos senadores Cassio Cunha Lima (PB) e Aloysio Nunes (SP), a proposta trata do termo de cooperação firmado entre o Ministério da Saúde e a Opas, referente à participação de cubanos no programa.

Novo ministro

O ex-deputado Edinho Silva será o novo ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, no lugar de Thomas Traumann, que deixou o cargo na última quarta-feira. Edinho Silva foi tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma Rousseff e é graduado em ciências sociais.

Bomba no PT

O presidente municipal do PT paulista, Paulo Fiorilo, disse ontem que além da abertura de inquérito na Polícia Civil, o diretório e a bancada do partido na Câmara dos Vereadores pedirão à Polícia Federal que investigue a explosão de uma bomba caseira, na madrugada de quinta-feira, em uma das unidades do partido, na capital paulista.

Ódio e intolerância

O petista Paulo Fiorilo atribuiu o episódio a “uma demonstração de ódio e intolerância que se criou não só na cidade de São Paulo, no estado e no país por várias pessoas e movimentos e que foi amplificada pela mídia contra o PT”.

Crime brutal

Em nota da bancada do petista na Assembleia Legislativa, o partido manifestou a sua indignação contra os atos de violência e intolerância contra o PT. “Esse crime brutal só não fez vítimas porque, no momento, o imóvel encontrava-se vazio”. Os deputados petistas classificaram a ação de uma onda “fascista” contra a democracia.

Forte explosão

O artefato foi lançado por volta das três horas da madrugada no imóvel alugado para sediar o Diretório Zonal do PT, na rua São Domingos. Ninguém ficou ferido. Ao ser detonado, o explosivo estilhaçou os vidros de uma janela frontal do prédio e provocou um pequeno afundamento de uma porta de ferro. O caso foi registrado no 78º Distrito Policial.