Coluna Bom Dia

Pegou fogo

A campanha que estava caminhando, em ritmo morno, sem grandes polêmicas entre os candidatos, pegou fogo ontem. Incomodado com o apoio do ex-candidato do PSL à prefeitura, Fernando Zamora à prefeita Socorro Neri, o vice-governador Rocha soltou impropérios em entrevista contra a prefeita, com direito a baixarias e a uma certa dor de cotovelo por ela ter deixado o PSDB. quando Rocha estava no partido.

Estopim

O estopim do ataque do vice-governador foi uma postagem da prefeita em sua página em redes sociais, em que destacou o encontro com Fernando Zamora, lamentando que a candidatura dele tivesse sido retirada por conta de articulações do que chamou de velha política. A postagem da prefeita foi compartilhada na página de Zamora,  com efusivos elogios a Socorro Neri.

Polvorosa

A proximidade da prefeita com um, até agora, integrante do PSL identificado com as ideias da direita deixou alguns setores em polvorosa. O PT atacou com memes nas redes. Para complicar, o enredo do apoio tácito de Zamora a Socorro Neri ocorreu no mesmo dia em que foi confirmada a candidatura do coronel Ulysses como vice de Minoru Kinpara. O apoio de Zamora mostrou que o PSL ainda está rachado, assim como toda a direita acreana está espatifada entre várias candidaturas.

Infidelidade

Rocha acusou a prefeita de infidelidade partidária, dizendo que ela foi do PMDB, se aliou ao PT e depois também abandonou este partido. Rocha não resistiu e chamou a prefeita de comunista e socialista. Aloprou. Interessante é que criticou a prefeita por mudar de partido quando há apenas algumas semanas foi ele próprio quem trocou de legenda.

Equilíbrio

Curioso é que agora a prefeita é chamada de comunista pelo vice-governador e de direitista pelo PT, Talvez isso demonstre um necessário e louvável equilíbrio, em tempos tão acirrados e de divisões tão grande na política. Tem horas que as definições clássicas já não funcionam, pois a experiência da política e da convivência humana é e precisa ser mais rica e menos radical.

 Fidelidade

Interessante também é que após deixar o PSDB e ingressar no PSB, a prefeita Socorro Neri não mudou de legenda. Insistentemente convidada por outros políticos, inclusive pelo PSDB, então partido de Rocha, Socorro permaneceu na mesma sigla. Isso Rocha não pode atacar. Foi ele quem trocou.

Repercussão

A entrevista de Rocha a um site da Capital foi insuflada nas redes sociais e apresentava, até a noite de ontem, mais de 38 mil visualizações.  Foi o pontapé inicial das baixarias da campanha.

Dossiês

Ficou claro que Rocha e outros políticos estão fazendo um dossiê de ataques contra a prefeita Socorro Neri. Mas esses dossiês também estão sendo feitos contra todos os candidatos majoritários e também contra seus principais apoiadores. Se deixarem, a campanha vira uma carnificina nas redes.

Espaço

A TRIBUNA dará espaço para todos os candidatos, de forma equilibrada, mas não publicará baixarias e ataques gratuitos.

Alianças

O deputado Roberto Duarte está montando uma poderosa estrutura de campanha. Organizou um bom trabalho em redes sociais, onde já tem mais de 11 mil em seus canais no Facebook e Instagram. Também está articulando uma coligação com o PDT e nas conversas já surgiu o nome do ex-deputado Eber Machado como é possível vice.

Estrutura

Mas a maior estrutura de campanha até agora é de Minoru Kinpara. Ele contratou uma equipe profissional para cuidar de seu marketing. Ficou claro ontem que a estratégia é deixar Minoru fora da baixaria da campanha, que será assumida por outras pessoas, como o vice-governador, que adora uma polêmica e um confronto. Esse é seu estado natural, a forma como gosta de fazer política.

Conselheira

A indicação da auditora Maria de Jesus Carvalho de Souza para a vaga de Conselheiro do TCE pode enfrentar dificuldades inesperadas. É que, por exigência constitucional, o indicado precisa ter menos de 65 anos. A candidata já chegou a essa idade e, desta forma, estaria impedida de ser nomeada.

Vai insistir

Mas o Tribunal de Contas vai insistir na indicação, com base em decisões do STF que os conselheiros julgam servir como precedentes. Com isso, a indicação pode ser judicializada e atrasar. Vai depender da comissão especial criada na Assembleia Legislativa, que só será instalada depois que a mensagem com o nome da auditora chegar ao Legislativo, o que ainda não ocorreu.

Os nomes

Em caso de impugnação da indicação de Maria de Jesus, uma confusão se formaria. É que ela é a única auditora credenciada para assumir o cargo. Se não puder, por preceito constitucional, a vaga poderia ficar com o Ministério Público de Contas. Nesse neste, caso o primeiro nome a ser apontado seria o do Procurador João Isidro, que não tem bom trânsito entre os deputados, por causa de algumas ações que realizou no exercício de sua função ministerial. Não é um nome simpático aos deputados.

Opções

Existe a possibilidade de outros nomes serem cogitados. Os principais seriam o do secretário Ribamar Trindade e da ex-secretária da Fazenda Semíramis Dias. O governador Gladson Cameli teria prometido a Ribamar Trindade, quando o chamou para o governo, buscar forma de indicá-lo ao Tribunal de Contas. Mas é voz corrente que a saída de Ribamar, agora, do governo poderia ser prejudicial ao governador, pela função de articulação que ele vem exercendo.

Sobral

O candidato Tião Bocalom continua batendo perna. Esteve ontem na Baixada da Sobral, de onde postou em suas redes almoçando em um restaurante familiar. Bocalom faz a política do corpo a corpo mesmo com a pandemia.

Apareceu

Quem também apareceu na campanha política foi o ex-prefeito Marcus Alexandre, que saiu do exílio autoimposto depois de sua derrota para o governo do Estado. O ontem fez companhia ao candidato do PT, Daniel Zen em uma visita ao mercado dos feirantes na estação experimental. Depois da reunião que teve com Zen, parece que Marcus Alexandre vai cair de cabeça na campanha. Será que os outros caciques do PT vão seguir também essa disposição?

Crime

É preciso usar as palavras certas para as situações adequadas. O que aconteceu com a morte da funcionária do supermercado, atropelada e morta por um motorista inconsequente, que fazia uma corrida louca pelas ruas da cidade, não pode ser caracterizado como acidente. É um crime. Não há dúvidas disso. Foi um homicídio e na Justiça será discutido se foi um comportamento doloso ou culposo. De qualquer maneira, o caso tem que ser tratado como o que realmente é: um homicídio estúpido é gratuito.

Privilégios

Nas redes sociais é grande a revolta contra o motorista atropelador. O principal medo é que ele abuse do poder econômico de sua família, para se livrar das consequências. Uma série de ações e postagens mostra que há uma tentativa de melhorar a imagem do atropelador nas redes. A vítima não merece isso.

Operação

Operação desencadeada pela Polícia Federal no Acre e Rondônia para apurar desvios de quase R$ 10 milhões no Banco do Brasil em contas de inventários teve prisões no Acre. Foram presos um funcionário e também um gerente. Na busca feita na casa deste gerente foi encontrado dinheiro em espécie. Há notícias de que a quadrilha tentou aplicar o mesmo golpe em clientes e em contas no Acre. Ao menos um empresário pode ter sofrido tentativa de  acessos irregulares a sua conta.

Faces da Liberdade

O gerente do Banco do Brasil preso no Acre trabalhava na agência de Assis Brasil e o funcionário na Capital. Uma das vítimas do golpe foi o espólio do ex-diplomata  e membro da Academia Brasileira de Letras, Afonso Arinos de Melo Franco. O nome de um dos livros do Imortal batizou a operação.

Apoio

O deputado Neném Almeida postou em suas redes sociais o encontro que teve com o candidato do PSDB, Professor Minoru Kinpara, na sede da AABB, em Rio Branco. A postagem foi muito comentada na página do Facebook do deputado.