Coluna Bom Dia

Auditoria

O governador Gladson Cameli contratou renomada empresa Internacional, líder do mercado, para fazer a mais completa auditoria já realizada na folha de pagamentos do Estado. Serão 11 equipes que trabalharão até maio do próximo ano para fazer um diagnóstico completo de todos os 26 mil servidores efetivos e 15 mil inativos do Estado. Há expectativa é que possa ser equacionado e diminuído o gasto mensal de R$ 255 milhões com a folha, eliminando irregularidades, falhas e excessos.

Resultado

Com os resultados da auditoria, o governo pretende ter mais folga para a contratação de servidores via concursos públicos, nas áreas mais carentes. Para demonstrar essa intenção, o governador deve chamar até o próximo mês, os policiais civis aprovados em concurso e que esperam nomeação.

Policiais

Recentemente, o governador contratou 67 policiais civis de forma emergencial. Agora quer completar o quadro que tem vagas para 166 agentes de polícia, 20 auxiliares de necrópsia, 18 delegados e 36 escrivães de polícia. Os salários vão de R$ 3 mil a R$ 15 mil.

Reforma

Ao embarcar ontem para o Sul do país, Gladson deixou claro que quer promover uma ampla reforma no primeiro escalão de seu governo, a ser executada até o fim do ano ou nos primeiros dias de janeiro. O governador quer mais agilidade em alguns setores, que julga estarem com muita morosidade e acomodação.

Cenário

Esta reforma do secretariado deverá, também, refletir a nova realidade política do Acre, que emergirá após as eleições municipais deste ano. Gladson deve cobrar lealdade na indicação dos cargos de seu governo.

Barraco

Começou e terminou em barraco a convenção conjunta do PSDB, PSL e cidadania, para a formalização da chapa de Minoru Kinpara para prefeito. O grande problema foi que o PSL não suportou a tentativa de Rocha em enfiar goela abaixo do partido a indicação do empresário Celestino Bento para vice-prefeito.

Crise

Como a coluna já previra ontem, candidatos a vereador insatisfeitos do PSL ameaçaram boicotar a convenção ou, no mínimo, disseminar o voto camarão, em que se descarta cabeça da chapa, que seria jogado fora, como prova da revolta. Em meio a impropérios, gritos, chiliques buscou-se durante muito tempo uma solução.

Ulysses

Os candidatos do PSL fecharam questão na indicação do coronel da reserva Ulysses Araújo como candidato a vice de Minoru. Acontece que o cabeça da chapa quer o máximo de distância possível do coronel, porque pesquisas internas descobriram que ele afasta votos, especialmente na periferia da Capital. O vice-governador major Rocha não teve problemas em se apresentar como realmente é: dono e senhor do PSL Acre e refirmou posição contra Ulysses e a favor de Celestino.

Votação

A solução aventada para a crise foi promover uma votação entre a direção do PSL para definir o candidato. O que Rocha não esperava foi o resultado, que demonstrou a força de Ulysses no partido, que venceu a consulta por 7 votos a 2. Aí o pau quebrou. Rocha dizia que Ulysses não tinha representatividade e o coronel rebatia afirmando que Rocha queria impor o controle ao PSL. A convenção precisou ser suspensa.

Acordo

No fim, Ulisses topou um acordo, impondo três condições: não perseguir os filiados que foram contra Celestino,  garantir que o Fundão eleitoral será distribuído de forma igualitária para todos os candidatos e que caso Minoru vença as eleições, acolha os correligionários que não obtiveram êxito nas urnas.

Cargos

Ou seja, no final tudo ficou resumido à farta distribuição dinheiro do fundo partidário e da promessa de cargos para os que correm o risco de ficar na chuva. Para um candidato que prega a ética, ou cuidado com o bem público, sem apadrinhamento e sem conchavos o acordo pegou muito mal para a imagem de Minoru Kinpara, que sempre procurou se diferenciar de políticos que fazem conchavos.

Sem solução

É claro que um acordo desse tipo não serve para quase nada. O PSL e toda a coligação de Minoru Kinpara viraram um ninho de serpentes. Está valendo com os candidatos a vereador no PSL a lei de Murici, cada um por si.

Árvore

Durante a manhã de ontem, correu uma fake news nas redes sociais, que teve centenas de compartilhamentos. Dizia que parte da histórica, reverenciada e tombada Gameleira no Segundo Distrito havia sido cortada à motosserra, um crime ambiental e contra o patrimônio público. Imediatamente, internautas começaram a atacar a prefeitura municipal. No fim, tudo se esclareceu e a explicação era simples.

Natural

A ventania que atingiu a Capital na noite de quinta-feira foi a responsável pela queda de um grande galho da centenária Gameleira, que estava corroído por broca, um fato natural em árvores centenárias. O que foi feito simplesmente foi fatiar o tronco caído a motosserra, para facilitar o transporte. A gameleira continua preservada e intacta. Uma vistoria da prefeitura constatou a veracidade dessa informação. Não havia um louco as querendo derrubar a história da Capital.

Fake-news

Nem por isso, mesmo diante de todas as explicações, evitou-se que o caso gerasse uma torrente de fake-news, de memes, piadas, todas disseminadas por robôs contra a prefeita Socorro Neri e a prefeitura da Capital. Coisa feia.

Linhão

O governador entrou em contato com a Eletronorte cobrando os trabalhos do linhão de energia até Cruzeiro do Sul, que ele quer inaugurar até 2022. Gladson também tratou da qualidade da transferência de dados via internet de banda larga para o Juruá, que ainda hoje é claramente insuficiente.

Reunião

Líderes partidários e alguns parlamentares da Assembleia Legislativa acreditam que seja inevitável a convocação de uma reunião no começo da semana, para que o presidente Nicolau Júnior esclareça as acusações que pesam contra ele e seu envolvimento na operação da Polícia Federal desencadeada na sexta-feira. Nicolau estaria tranquilo e confiante de que nada de grave pesa contra ele.

Reclamação

O ex-deputado Vagner Sales disse ao governador, de quem pode até estar afastado politicamente, mas com quem mantém a amizade que só os contemporâneos e parentes por afinidade do interior possuem, que está abalado com o que classificou de perseguição a ele e sua família na operação da Polícia Federal. Vagner relatou a truculência da polícia na abordagem em sua residência, que culminou com sua prisão.

História

Ao relatar o que tem história política no Acre, compromisso e um nome familiar a zelar, Vagner reiterou ao governador sua inocência e sua indignação.

Com os russos

O governador reafirmou o interesse em manter contato com as autoridades russas para a aquisição de lotes de vacina contra a Covid para o Acre . Vai intensificar as negociações.

Calçados

A empresa de fabricação de calçados instalada no Acre disse que tem condições de oferecer preço baixo e vencer qualquer licitação para compra de calçados escolares, oferecendo produtos de qualidade, fabricados no Estado e que gerem impostos e postos de trabalho na capital. Existe até um modelo sugerido para produção, bonito e inteiramente feito em couro.

Convenção

Está quase tudo pronto para a convenção de amanhã à noite que ratificará os nomes de Socorro Neri e Eduardo Ribeiro como candidatos à prefeitura pela dobradinha PSB/PDT com a participação de vários outros partidos. PSB e PDT, à exemplo da capital, estarão juntos em muitos outros Estados.