Coluna Bom Dia

No pleno

A desembargadora Regina Ferrari age certo ao mandar para análise do pleno do TJ a questão da vaga do TCE. Sabe que qualquer decisão sua teria como resultado esse recurso de parte do lado interessado que perdesse. Assim, elimina uma etapa e sua decisão não pode ser vista como protelatória, ao contrário, pode apressar a solução.

Posição

Certa também a magistrada quando provoca manifestação do Ministério Público, de modo oficial e da Procuradoria Geral do Estado. Tudo para embasar uma análise justa. Por agora, fica a proibição de impedir qualquer decisão extemporânea, o que é o certo. Seja como for, essa novela não acaba logo.

Ponte

Informações desencontradas ontem. A imprensa de Porto Velho anunciou que a ponte do Abunã não termina esse ano, o que pode ser facilmente comprovado nas fotos que o próprio DNIT disponibilizou. A cabeceira está muito atrasada. Já a empresa contratada garante a obra pronta em dezembro, mas diz que a inauguração será só em fevereiro.

Cheia

O problema é que a cheia do Madeira começa no fim do ano e se as chuvas forem severas, o problema será grande para finalizar a obra. Este ano quase não choveu, era o ideal para concluir a ponte, mas não se aproveitou. Agora é torcer para não chover e para que a balsa não aproveite e danifique mais alguns pilares, como acontece todo ano, para atrasar o processo.

Apoio

“Ninguém pode dizer que nunca apoiou o PT no Acre”. A constatação é do governador Gladson Cameli e não poderia ser mais correta. As pessoas esquecem o passado muito rápido no Estado. Aliás, já é hora de acabar essa acusação besta de não se aproveitar quadros capacitados para o serviço público, porque foram da administração passada. É preciso tornar a política das nomeações técnicas e ninguém tem atestado de idoneidade ideológica.

Não esquecer

Não se pode esquecer que o ícone da nova direita acreana, da reação conservadora, o senador Marcio Bittar, recebeu treinamento na antiga União Soviética, foi dos quadros do partidão e líder de parte da esquerda acreana no então PPS, sucedâneo do PCB. Mudou, muito bem, não precisa ser cobrado por isso, mas também não tem que jogar pedras.

Capinando sentado

O governador deu a entender – e para quem saber ler pingo é letra – que vai promover uma reforma administrativa não tanto de caráter ideológico, mas de competência e de fidelidade. Quem estiver capinando sentado no governo, e infelizmente não são poucos nem nos altos escalões, pode preparar a frigideira para a fritura.

Exemplo

Um exemplo de setor absurdamente parado no governo é o Esporte. Se as atividades estão paralisadas por conta da pandemia, o cuidado com a conservação do patrimônio público na área é completamente negligenciado. A Arena Acreana, novo nome do estádio, é o melhor exemplo.

Arena

As quadras anexas estão tomadas pelo mato, roubaram a fiação elétrica, está um descaso só, em uma área do governo privilegiada até em nível de secretaria do primeiro escalão. Um informe detalhado já foi enviado ao governador.

Sem aviso

O governador Gladson Cameli mantinha há tempos distância de Bocalom, por incidentes na campanha de 2018. Foi convencido a dar uma chance a ele, aceitou sua filiação ao Progressistas e o nomeou para um cargo importante, como forma de resgatar o nome do eterno candidato. Passou por cima das diferenças, mas foi surpreendido com o pedido de demissão e o anúncio de candidatura, que passou por cima de sua autoridade, não sendo consultado antes. Ou seja, Bocalom se voltou contra a mão que o amparou. Essa teria sido a razão da nova distância do governador.

Mistério

O poder exige transparência. A população tem direito de saber a agenda de autoridades. É incompreensível o mistério acerca da visita do vice-presidente Mourão ao Acre. Se fosse em governos passados, todo mundo estaria gritando, pedindo explicações. Agora, pode tudo. Como se a visita fosse resolver todos os graves problemas do Estado. Coisa besta!

Covid

Depois da reabertura das aulas no Amazonas, 1.700 professores já testaram positivo para a Covid-19 só em Manaus. No Maranhão, cinco escolas tiveram surtos e foram fechadas. É bom se manter o cuidado no Estado.

Reinfecção

Em Rondônia, um policial penal foi reinfectado pela Covid. Esse foi o assunto nas redes sociais e na imprensa do Estado vizinho. O Acre aparece sem nenhuma morte no sistema penitenciário. Que continue assim.

Valor

No futuro, depois da pandemia, se dará valor ao trabalho desempenhado pelo governador Gladson Cameli e pela prefeita Socorro Neri na ação contra a Covid. Poucos Estados mostraram uma coordenação tão completa, com expressivos resultados.

Fake News

 O juiz da 9ª Zona Eleitoral, Giordane Dourado, bem intencionado, quer um acordo entre os candidatos para evitar a proliferação de fake News. A ideia é boa, mas na prática, não quer dizer nada, já que o problema não está diretamente com os candidatos, mas na periferia das campanhas, nos grupos de apoiadores sem escrúpulos. Como conter esses? Só com o rigor da lei.

WhatsApp

As redes sociais podem ser monitoradas, podem ser vigiadas, mas os grupos de WhatsApp não. É aí que se concentram os maiores ataques. Com criptografia não é possível de pronto identificar o problema, depende de denúncia. Um trabalhão para a Justiça Eleitoral.

Campanha

A campanha começa na próxima semana e tem muito candidato com tudo atrasado. A legislação esse ano é bem rígida sobre o que pode e o que não pode e uma fiscalização rígida vai, com certeza, identificar irregularidades em todas as campanhas. Sem contar que ninguém vai acreditar que se fará uma campanha para prefeito na Capital ao custo de R$ 230 mil, como prevê a lei, com valor absurdo, menor que em Cruzeiro do Sul.

Legendas

Bom lembrar que a lei exige que os programas eleitorais tenham legendas e ainda tradução em libras. Estão proibidas trucagens, desenhos animados e montagens, não excluídas as montagens com jingles e vinhetas elaboradas. Só a computação gráfica elaborada é vedada.

Debates

A TV Globo já avisou suas filiadas que só haverá debates transmitidos pela emissora em programas com até quatro candidatos. Rio Branco tem sete, o que pode inviabilizar a realização.

Lei

Pela lei, os debates devem ser feitos, com candidatos cujos partidos possuem ao menos cinco parlamentares federais. Isto credencia todos os sete candidatos a estarem presentes, até Jarbas Soster, cujo partido, Avante, tem sete deputados federais e Jamyl Asfury, do PSC, que tem nove deputados.

Ladrões

Os ladrões no Acre estão de tal maneira à vontade que estão roubando até o pitbull que, em tese, deveria defender a casa. Sem contar na vergonha que é o furto de fiação, que poderia ser contida em fiscalização de ferros-velhos.

Aniversário

O ex-senador Jorge Viana comemorou ontem mais um aniversário e apareceu nas redes sociais tocando violão junto com o ex-senador Aníbal Diniz. Jorge é um eterno otimista com o Acre e sua gente, que deve muito a sua ação e a sua longa e vitoriosa carreira política. A ele, os cumprimentos de A TRIBUNA e da coluna.

História

Tem coisa mal contada nesse divórcio entre o PC do B e a prefeita Socorro Neri. Na verdade, as relações não andavam às mil maravilhas e a prefeita não teria esquecido o episódio da entrega da liderança da Câmara Municipal pelo vereador Eduardo Farias, em um momento crucial para administração. Este seria só um dos episódios dos boicotes acontecidos. A resposta da prefeita foi o rompimento e com certeza, depois das declarações agressivas, deve exonerar os cargos ainda sob o comando do partido na prefeitura.