Coluna Bom Dia

Educação

O secretário Mauro Sérgio Cruz, da Educação tem o pendor natural para o diálogo e o entendimento e tira leite de pedra para encontrar fórmulas de encontrar pontos de convergências entre as justas reivindicações dos servidores, do magistério e a realidade das contas públicas, dos repasses federais e o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal.

Reunião

Em reunião com os representantes dos sindicatos da Educação, foi sincero e honesto. Disse que o governo está limitado em duas frentes para conceder maiores benefícios: de um lado, o corte inesperado dos recursos extras previstos pelo Fundeb aprovado no Congresso e que foi contingenciado por portaria do governo federal e, por outro lado, os limites de gastos de pessoal de Lei de Reponsabilidade Fiscal, que pressiona o Estado.

Água fria

A portaria que contingenciou o Fundeb, que acabou com o cálculo de custo-aluno foi uma reação do governo Bolsonaro à aprovação do Fundeb na forma como foi proposto e debatido pela comunidade escolar, com aumento do montante bruto e da participação do governo federal no financiamento. Foi uma ducha de água fria nos que lutaram pela aprovação do Fundeb.

Possível

O secretário explicou que a Educação vai fazer o possível e sinalizou que na segunda- -feira se reúne com a equipe econômica do governo do Estado para tentar, pelo menos, corrigir distorções na tabela de vencimentos, ainda antes da divulgação do novo plano da educação que dará resposta mais definitiva. É o que será possível fazer agora.

Pressão

Além do governo do Estado, os sindicatos vão pressionar a secretária municipal de Educação, Nabiha Bestene, sob o argumento de que a capital há soia anos não promove reajustes para a categoria. Mais uma vez a questão do salário das merendeiras, nominalmente abaixo do mínimo será uma das pautas.

Vacinação

O secretário municipal de Saúde, Frank Silva, divulgou ontem que foi informado pelo Ministério da Saúde que a data da campanha de vacinação nacional contra a Covid está confirmada. Vai começar no dia 28 de janeiro, último sábado do mês. Foi recomendado que as equipes de Saúde da prefeitura estejam a postos para fazer a imunização.

Previsão

A previsão inicial era de que, nessa primeira leva de vacinas, o Acre venha a receber 43 mil doses do governo, esse número pode aumentar porque o governo pensa em confiscar toda a produção do Instituto Butantan, inclusive a destinada ao Estado de São Paulo, que tem em mãos seis milhões de doses e quer começar a vacinar dia 25.

Roubo

Nas festas de fim de ano, mais uma vez a ação dos larápios foi destaque. Ladrões invadiram o depósito central da Secretaria Municipal da Saúde, que fica no centro da cidade, perto do quartel, junto à Caixa Econômica e furtaram medicamentos, equipamentos, computadores um grande prejuízo. Quase nas barbas da polícia.

Reflexo

O destempero do prefeito Mazinho Serafim que destratou o governador Gladson Cameli na reunião da Amac teve consequências. Gladson passou a caneta nos cargos comissionados do prefeito e de sua esposa, a deputada Meire Serafim. São mais de 20 demissões, com alguns cargos pagando mais de R$ 5 mil. Uma limpa.

Destempero

Alguns interlocutores de Sena Madureira apontam que Mazinho, que sempre teve fama de esquentado, anda meio fora de controle. No governo passado teve um arranca-rabo com o secretário Carioca e há poucos dias destratou gente da sua própria administração. Anda precisando de uns sucos de maracujá.

Sem apoio

Mazinho teria avisado sua esposa, deputada Meire Serafim, que não teria condições de bancar sua campanha de reeleição, que ela tomasse as rédeas de seu futuro político. Quanto a seu destino, ele torce para que Flaviano saia candidato ao Senado e, nessa hipótese, sairia para deputado federal em 2022.

Briga ruim

A briga de Mazinho com Gladson é pior para o prefeito, que depende do Estado para as obras de ramais, da nova escola, da escola cívico-militar, do asfalto, entre outras ações.

Civil

Ontem era dada como certa a nomeação de Flávio Silva, pessoa de estrita confiança do governador para o gabinete civil, já montado de acordo com a reforma administrativa, com funções mais internas, de cerimonial e burocráticas, ficando a parte política com a secretaria de governo. Mostra que o governador não está disposto a barganhas políticas, ao escolher o nome entre aqueles de seu círculo íntimo de amizade.

Nota oficial

O secretário municipal de Planejamento, Arthur Neto, disse em nota oficial que o prefeito Bocalom foi induzido a erro na nomeação das duas irmãs que compuseram o governo anterior para cargos comissionados. Disse que a intenção é usar pessoas experientes para treinar a nova equipe e depois demitir. Que os atos seriam revistos. Coluna acredita que é meio inocente, é acreditar muito na natureza humana esperar que quem domina uma área explique tudo para quem vai lhe tomar o lugar. Quem aceitaria isso?

Entrega

O governador disse que vai entregar para Bocalom o controle do Depasa e que vai reativar a Sanacre para cuidar do saneamento dos municípios. Cumpre o prometido a Bocalom. E se livra de uma dor de cabeça.

Ponte

A comunidade do Riozinho do Andirá procurou autoridades estaduais e da Capital para reivindicar a recuperação da ponte da região, que foi arrastada pela chuva. Exigem uma solução imediata.

Orçamento

No começo da semana, o governador deve assinar enfim o orçamento do estado, pondo a máquina pública para andar, Por enquanto, está tudo parado. Muita expectativa não só no executivo, como nos demais poderes e instituições.

Devolução

A Justiça determinou a devolução à família do Volks que era dirigido por Alan, um dos envolvidos na morte de Jholiane, trabalhadora de supermercado em um racha, crime que mobilizou a opinião pública. A pedido da defesa, ouvido o Ministério Público, o juiz considerou que não há mais interesse em manter o veículo apreendido, pois todas as perícias já foram feitas.

Julgamento

Falta apenas a manifestação final do MP e depois da defesa para que seja avaliado se os dois envolvidos no crime vão a júri popular ou não. Todas as testemunhas já foram ouvidas.

Leitos

A situação da ocupação dos leitos de UTI para Covid na Capital era a seguinte, ontem: UTI do PS / 40%, UTI do INTO/ 77,5% de ocupação, UTI da Sta. Juliana/ 0%. Leitos em Rio Branco 58% de lotação.