Conselheiro do TCE José Augusto morre por complicações de COVID

O Conselheiro do Tribunal de Contas do Acre, José Augusto Araújo de Faria, faleceu na noite deste domingo, 12, no Hospital Santa Juliana, em Rio Branco, vítima de complicações da Covid-19. Ele estava internado há cerca de uma semana, mas o quadro se agravou, em função de comorbidades pré-existentes. Membro fundador do TCE, José Augusto foi também deputado estadual, função que exercia quando foi escolhido na turma de conselheiros fundadores do TCE e também grande atleta, reconhecido como um dos melhores goleiros da história do futebol do Are, defendendo o Independência e como o primeiro jogador acreano a treinar profissionalmente no Flamengo, no Rio de Janeiro.

Ele deixa a esposa, Maria José Maia, quatro filhos e 7 netos.

O governo do Acre emitiu nota de pesar pelo falecimento do conselheiro e decretou luto oficial de três dias pela morte de Zé Augusto. A vítima do novo coronavírus foi um dos primeiros membros da composição do Tribunal de Contas do Estado do Acre, ocorrida no dia 27 de setembro de 1989.

Nomeado juntamente com mais seis conselheiros pelo então governador Flaviano Melo, José Augusto Araújo de Faria, foi eleito, naquela oportunidade, vice-presidente da Corte, ao lado do presidente Alcides Dutra de Lima, e administraram o TCE/AC até janeiro de 1991.

José Augusto exerceu a presidência do TCE em diversas oportunidades, com destaque para sua gestão, em 1996, quando foi criado novo Regimento Interno, do Tribunal de Contas do Estado do Acre, adaptando o regimento à constituição estadual aprovada em 1989.

O governo do Estado decretou luto oficial por três dias e divulgou nota oficial enaltecendo o papel de José Augusto na vida política e social do Acre, Eis a nota:

NOTA DE PESAR

É com profundo pesar que o Governo do Estado do Acre manifesta condolências à familiares e amigos e decreta luto oficial de três dias pelo falecimento do conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE), José Augusto Araújo de Faria, ocorrido na noite deste domingo (12), no Hospital Santa Juliana, em Rio Branco.

Por sua ética, compromisso e respeito com a legalidade e os princípios da administração pública, José Augusto de Araújo Faria, nos deixa herdeiros do legado de um exímio defensor do direito e da democracia, tendo sido ele um dos primeiros membros da composição do Tribunal de Contas do Estado do Acre, ocorrida no dia 27 de setembro de 1989.

Nomeado juntamente com mais seis conselheiros pelo então governador Flaviano Flávio Baptista de Melo, José Augusto Araújo de Faria, foi eleito, por unanimidade, vice-presidente da Corte, ao lado do presidente Alcides Dutra de Lima, e administraram o TCE/AC até janeiro de 1991.

Como Conselheiro-presidente, em 1996, José Augusto Araújo de Faria, criou um novo Regimento Interno, do Tribunal de Contas do Estado do Acre, dispondo sobre a constituição, estrutura, atribuições, competência e julgamento dos processos, normatizando, assim, a organização da Corte baseada na Constituição do Estado do Acre de 1989.

Digno do reconhecimento de sua luta em defesa da legalidade, moralidade, impessoalidade e eficiência no que tange à missão de um guardião do direto público e do bem comum, José Augusto de Araújo Faria, seguirá como exemplo de homem a ser seguido pelas gerações que reconhecerão sua trajetória através dos nomes de honra escritos pela história do Acre.

Que Deus, em seu infinito amor e misericórdia, console os corações de seus familiares e amigos neste momento de dor e tristeza.

Gladson de Lima Cameli
Governador do Estado do Acre