Discriminação religiosa aumentou 70% no Brasil


publicidade

Em 2015, o número de denúncias relacionadas à discriminação religiosa aumentou 70% no ano passado no Brasil na comparação com o ano anterior, chegando a 252, o mais elevado patamar registrado desde a criação do Disque Direitos Humanos, o Disque 100, há quatro anos.

MATÉRIA 2 - líderes de diversas matrizes religiosas decidiram criar  uma  rede  de  proteção  às  vítimas  de  intolerância - Foto Agência Brasil

Os dados foram divulgados ontem, data do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa, pela Secretaria de Direitos Humanos do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos. Em 2014, foram 149 denúncias.

Diante do agravamento da intolerância religiosa, líderes de diversas matrizes religiosas que estiveram em Brasília para participar de uma mesa de debates sobre o tema se uniram para criar uma rede nacional de proteção para as vítimas desse tipo de crime. “Hoje foi a primeira discussão de um escopo e dos princípios do que será essa rede”, disse o secretário nacional de Proteção e Defesa de Direitos Humanos em exercício, Fernando Matos, que recebeu os líderes.

Ao comentar o aumento no número de tais denúncias, Matos disse que o acirramento dos ânimos e as manifestações de intolerância observados na esfera digital podem ter contribuído para maior ocorrência de crimes reais. “É uma situação muito complexa. Temos participado de um mundo cada vez mais virtual e digital, o que tem permitido que haja episódios de intolerância descambando para o mundo real.” Matos destacou também o crescente reconhecimento da capacidade do Disque 100 de encaminhar essas denúncias às autoridades responsáveis por sua apuração.