Educação apresenta novo modelo de escola a comunidades indígenas

A hora é de fortalecer a educação indígena. Além da divulgação do resultado do processo seletivo para a contratação de professores, o secretário de Educação, Cultura e Esportes (SEE), Mauro Sérgio Cruz, visita esta semana as comunidades indígenas do Vale do Juruá para apresentar o novo modelo de escola, que leva em conta a autossustentabilidade.

Uma das comunidades visitadas foi a Aldeia Puyanawa, em Mâncio Lima. A escola, que continuou com as atividades remotas com os mais de 220 alunos, é uma referência no que diz respeito à educação indígena. O secretário Mauro Cruz foi recebido pelo cacique Joel Puyanawa e por toda a comunidade escolar.

É a segunda vez que o secretário visita a escola. No ano passado, encontrou uma unidade escolar deteriorada, mas que este ano foi completamente reformada. A nova escola modular apresentada irá acrescentar mais qualidade na educação e possibilitar a matrícula de mais alunos.

O secretário elogiou o trabalho desenvolvido pela gestão e pelos professores e destacou a importância de o governo do Estado procurar levar sempre o melhor para as comunidades. “Temos um compromisso com aqueles que nunca foram lembrados”, afirmou.

O novo modelo de escola indígena, que o governo do Estado, por meio da SEE pretende implementar a partir do ano que vem nas comunidades, é autossustentável, tem placa solar, piso em alvenaria e leva em consideração o conceito de uma escola de qualidade e que une todos os processos educacionais.

Outra comunidade visitada pelo secretário Mauro Cruz esta semana para apresentar essa novo modelo foi a Aldeia Katukina, localizada às margens da BR-364, em Cruzeiro do Sul. Lá, o secretário foi recepcionado pelo cacique Fernando Katukina e várias lideranças de aldeias locais.

Também é a segunda vez que ele visita à escola e, desta vez, para levar boas notícias. “Estamos trazendo aqui para as comunidades um novo modelo de escola, que para o governador Gladson Cameli não deve ser apenas bonita, mas um espaço onde os alunos realmente possam aprender”, enfatizou.

Ele respondeu a várias perguntas das lideranças indígenas, que ficaram animadas com a proposta do novo modelo e queriam saber mais sobre esse novo espaço, mais moderno, mais confortável e acessível aos alunos, que vai ser construído pelo governo. As primeiras seis unidades devem começar a ser construídas em 2021 nas aldeias do estado.