Enfermeira com covid-19 atendia em terras indígenas do Alto Purus

O Distrito Sanitário Indígena do alto Purus está monitorando 7 aldeias que foram visitadas por uma enfermeira que fazia atendimento em terras indígenas em Santa Rosa do Purus.

A profissional que não teve o nome identificado testou positivo para covid-19, mas antes tinha feitos vários atendimentos. O DSEI está monitorando todos os locais visitados pela enfermeira e fazendo testes nas famílias indígenas.

Santa Rosa, já conta com um caso confirmado de coronavírus em uma aldeia kulina. A chefe do Distrito, Carla Mioto, disse que está tentando manter o índio em isolamento, mas por causa da cultura e da própria liberdade na floresta fica difícil. A enfermeira também foi afastada e cumpre isolamento domiciliar onde faz o tratamento.

“Não é fácil manter os índios sem contato, pela própria natureza do ambiente, mas estamos em campo fazendo os testes e tentando separar os casos suspeitos”, explicou.

Em Assis Brasil uma índia da etnia manchinery também foi diagnosticada com covid 19. Ela tem uma filha de 30 dias e está recebendo tratamento em Rio Branco.

“Foi uma forma de tentar proteger outros membros da tribo”, lamentou Mioto.

O DSEI trabalha apenas com aldeia dos, quem vive nas cidades, a responsabilidade e da prefeitura. O distrito do Alto Purus é responsável por 12.700 índios que vivem em parte do território acreano, sul do amazonas e vila extrema em Rondônia.

Na semana passada uma índia de 56 anos morreu por causa da Covid-19 em Boca do Acre no Amazonas.

Para evitar a multiplicação da doença equipes do DSEI estão fazendo o monitoramento das aldeias, e começou essa semana a vacinação contra a influenza, uma forma de melhorar a imunidade dos índios.