Estelionato explode em tempos de compras e relacionamentos virtuais na pandemia

Em tempo de compras virtuais, de atividades pela internet o perigo está presente e é preciso ter muito cuidado. O número de casos de estelionato no Acre aumentou 600% durante esse período de pandemia. Só no mês de junho foram registrados 244 boletins de ocorrência, é como se a cada dia 15 pessoas fossem enganadas por estelionatários.

Nas delegacias do Estado foram registrados desde janeiro até 28 de junho 1.234 casos de estelionato. Rio Branco concentra maioria dos casos, 1.060. As redes sociais e a venda fictícia com ofertas mirabolantes que não se cumprem são as principais portas de entrada para os golpes muitas vezes feitos por quadrilhas especializadas.

Segundo o delegado Josemar Portes, o golpe mais frequente é a clonagem do whatssap, quando pessoa utilizam a conta para pedir dinheiro em nome do titular. Outro esquema é a venda de veículos pela OLX. A pessoa diz que quer comprar um carro e, de depara com um anuncio do estelionatário, que põe o mesmo veículo a venda em outro anúncio com o preço mais baixo. A pessoa negocia com a quadrilha, manda uma entrada ou o pagamento inteiro e quando o comprador vai pegar o bem, descobre que é outro o verdadeiro dono, que também não sabia da transação, com o preço e bem diferente. O dinheiro pago de entrada some. O terceiro golpe é a falsa transferência de valores, que é feita na venda de produtos que nunca são entregues.

O delegado alerta para que as pessoas fiquem atentas quando existirem vantagens demais em um negócio ou pedidos de senhas ou informações sobre sua conta ou celular. “Basta verificar algumas situações para você ficar desconfiado. Por exemplo, agências bancárias de outros estados, ou preços baixos demais para determinados produtos, fique atento”, chamou a atenção.

Uma maneira que pode ajudar a escapar dos golpes é verificar nos sites de venda a avaliação do vendedor. O Mercado Livre, Submarino e OLX têm essa ferramenta. Quando a compra é feira por lojas virtuais, a recomendação é consultar, antes de fechar o negócio, a existência de denúncias, reclamações e a nota da empresa no site Reclame Aqui, que de forma gratuita recebe reclamações de consumidores e mostra se a empresa é idônea ou não.

Por causa do crescente número de casos, o sindicato da polícia civil começou uma campanha na internet para ajudar as pessoas a evitar cair nesses golpes. São cards publicados no instagram @policiaiscivis ou policiacivilacre. Tudo isso ajuda a não cair em golpes.