Facções chantageiam, fazem acordos com candidatos e impõem horário de campanha nos bairros

Há uma ameaça velada que está presente cada vez de forma mais intimidadora nessa eleição: o controle e as ameaças das facções sobre a campanha nos Bairros. Em locais mais afastados do centro de Rio Branco, muitos candidatos não arriscam entrar e distribuir o material de propaganda. As facções exigem dinheiro e apoio, e, quem não aceita, não pode pedir voto naquela região.

A Justiça eleitoral já descobriu que existem tem candidato que se aliam às facções pagam para que os outros candidatos sejam impedidos entrar em determinados bairros. Isso é crime grave e pode levar o autor para a cadeia e ainda perder o registro de candidatura, advertiu o juiz eleitoral, Giordane Dourado, durante reunião organizada pela Justiça Federal, na qual estiveram presentes os 7 candidatos a prefeito de Rio Branco e os representantes de partidos.

De acordo com o Dourado, a Justiça vai disponibilizar um canal para que os candidatos possam fazer denúncias, caso sejam impedidos, pelos grupos criminosos, de fazer campanha. Foi alertado também sobre as punições caso o candidato receba ajuda das facções. “Essas denúncias precisam chegar a Justiça Eleitoral para que possamos apurar e usar as forças de segurança para garantir a livre campanha e até punir o candidato que usar como base membros de facções”, alertou.

Mesmo sem conluio político, a ação das facções impacta a eleição. Os traficantes determinaram que qualquer campanha, especialmente com pessoas estranhas à comunidade, deve ser encerrada às 17 horas, para não prejudicar a venda de drogas. Vários candidatos já se depararam com foguetórios, nesse horário, para indicar que é o momento de encerrar e deixar a comunidade.

Na reunião com o Juiz Giordane Dourado, os partidos e candidatos foram alertados sobre outro crime: as fake News. A Propaganda mentirosa espalhada na internet para prejudicar outro candidato pode tirar o autor da disputa pelo voto e ainda vai responder processo criminal.

A Justiça Eleitoral pediu consciência a todos para que a propaganda seja mais limpa e justa possível. Os candidatos também puderam conhecer quais as propagandas liberadas pela lei eleitoral.