Federação discute novos caminhos para produção agrícola

Cezar Negreiros

A Federação dos Produtores Rurais, Associação e Cooperativista do Estado do Acre e Sul dos Amazonas se reuniu com os representantes das associações de produtores rurais e cooperativas no dia de ontem no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac). O encontro com as lideranças rurais e campesinas tinha como objetivo discutir os novos caminhos do movimento rural no estado. “Queremos esclarecer que não somos uma federação de sindicatos rurais, mas uma organização que pretende auxiliar as cooperativas e associação de cobrarem das autoridades constituídas a retomada das políticas rurais esquecida nos últimos meses”, declarou a sindicalista Rosana Nascimento.

A presidente do Sinteac fez questão de agradecer a presença das lideranças rurais e do movimento campesino de prestigiarem o evento. Rosana destacou que o papel da nova entidade será de orientar os produtores rurais no caminho que eles precisam trilhar para ter acesso ao crédito das instituições bancárias e ao Programa de Agricultura Familiar (Pronaf).

Acrescentou que ideia é que os agricultores associados possam fazer a regularização fundiária das suas áreas, para que consigam fazer o gerenciamento da produção agrícola e legalizar as associações e cooperativas para concorrerem às licitações dos programas sociais e se habilitarem ao programa da Merenda Escolar nas escolas da rede estadual e municipal.

“Acho que chegou a hora dos pequenos produtores se organizarem para enfrentar o movimento ruralista que aposta no fracasso das comunidades rurais”, ponderou a sindicalista.

O vice-presidente da entidade Jozias Nascimento que o caminho é da regularização fundiária como garantia do direito destas famílias esquecidas no campo. O segundo passo é a retomada do diálogo com as autoridades constituídas e a bancada acreana no Congresso Nacional para que os parlamentares possam alocar emendas individuais no Orçamento da União, para ajudar na recuperação destas estradas vicinais destinadas ao escoamento da produção agrícola nestas comunidades.

“Vamos aproveitar este encontro para buscar encontrar caminhos que permitam que os produtores rurais possam comercializar a sua própria produção”, finalizou o líder rural.