Festival Pachamama realizará diversas atividades em Rio Branco

Pachamama

Mostra de filmes latinos, palestras, mesas-redondas, cursos práticos e festas farão parte da programação do VI Festival Internacional Pachamama – Cinema de Fronteiras, que será realizado em Rio Branco entre os dias 22 e 28 de novembro.

O evento, considerado um dos festivais mais promissores da América Latina, ocorrerá em diversos pontos da capital, como o Cine Teatro Recreio, Filmoteca da Biblioteca Pública, Anfiteatro da Universidade Federal do Acre (Ufac), Auditório da Adufac, além de telões infláveis que estarão em diversos bairros.

Entre a grade de programação, estarão palestras, mesas-redondas e cursos ministrados por alguns nomes consagrados do cinema latino, como Lisandro Alonso, conceituado cineasta de Buenos Aires, Diego Lere, crítico de cinema de importantes periódicos de Buenos Aires e internacionais e Chico Dias, ator do cinema e televisão brasileira, entre muitos outros.

Segundo Sérgio de Carvalho, diretor do Festival Pachamama, estarão em mostra mais de 80 filmes latinos, que inclusive, foram premiados em festivais de Tokio e Canes e que dificilmente chegam em cinemas convencionais.

“Queremos fazer com que esses filmes que não chegam em nossa região possam ser exibidos para a população acreana. O festival nasceu por estar em uma localização geográfica como o Acre, e se difundiu juntamente com a entrega da Rodovia Interoceânica, elemento que dá pra entender um pouco da proposta do evento, que é a promoção da integração cultural entre países da América Latina”, destaca Sérgio.

Governo parceiro

Patrocinado pela Petrobras, o Festival Pachamama, tem apoio cultural do governo do Estado, por meio da Fundação Elias Mansour (FEM), além da Prefeitura de Rio Branco, Universidade Federal do Acre (Ufac), Instituto Federal do Acre (Ifac), Ministério da Cultura – SAV e Consulado Geral do Peru no Acre, entre outros.

Para Karla Martins, diretora-presidente da FEM, este é um momento onde há um encontro de países de fronteira, que promove intercâmbio entre culturas multifacetadas e diferentes durante o festival.

“O governo está perto, pois isso aponta uma perspectiva política e cultural para essa área de fronteira, portanto, nos cabe estar olhando para pensar, ver e refletir juntos que caminhos que se abrem durante esses encontros, que promovem, entre muitas atividades, discussões que já são debatidas na base da sociedade”, destaca Karla.

A programação completa do Pachamama e demais informações podem ser encontradas no site www.cinemadefronteira.com.br e no evento do Facebookwww.facebook.com/cinemadefronteira.