Gás de cozinha registra mais um reajuste de 5%

Apesar do reajuste de 5% no botijão de gás, os donos das pequenas distribuidoras na capital acreana não pretendem repassar o novo preço aos consumidores rio-branquenses. O preço do produto gira em torno de R$83,00 nas revendas de alguns postos de combustíveis e 87,00 nos pequenos distribuidores nos bairros, mas com a nova remessa o valor da botija deve subir para R$ 88,00 até 90,00 nos casos de entrega a domicílio. “O país passando por esta crise de calamidade pública, a Petrobras autoriza esse reajuste?”, desabafou um pequeno distribuidor do produto.   

O dono da Distribuidora Central no centro da cidade, Chaffic Lima Neto disse que as vendas tiveram uma queda significativa, em comparação com os meses que antecederam a pandemia. Explicou que dependo da distância da entrega os preços da botija de 13 quilos variam entre R$ 88,00 até R$ 90,00.  Informou que no passado chegava a comercializar mensalmente uma média de 250 a 300 botijas do produto, com a vigência da quarentena as vendas registraram uma queda significativa.

Antecipou que a margem de lucro é pequena por cada botija comercializada, mas complementa a sua renda com a venda de água mineral de galão, garrafinhas e refrigerantes. Com crise ou sem crise, segundo ele, o gás de cozinha é essencial na casa dos consumidores. “Com o isolamento social o consumo do produto registrou um crescimento em comparação com o mês anterior, mas agora percebemos uma queda nas vendas”, lamentou.

Até o mês de abril a empresa Fogás Distribuidora de Rio Branco entregava para os atravessadores a botija de 13 quilos por R$75,00, mas o consumidor precisa desembolsar R$83,00 nos postos de combustíveis, enquanto a entrega delivery chegam em torno de R$86,00 até R$88,00.  A proprietária do Comercial Souza disse que continuará comercializando a botija por R$87,00 até acabar o estoque do mês passado.

Preços – Mesmo com redução do preço do  gás de cozinha de 21% na botija de gás de 13 quilos, no mês de março deste ano a queda no preço do produto essencial para as famílias não chegou a casa dos consumidores acreanos.  Com o risco de desabastecimento por conta da pandemia do coronavírus que chegou as plataformas, o produto chegou a registrar preços variados nos estabelecimentos comerciais espalhados pelos bairros da capital acreana.

Em 2018, o produto chegou ao fim do ano sendo comercializado em torno dos R$ 53,00, mas nos primeiros meses de 2019, pulou para  R$ 55,00. Após uma  temporada congelado,  o gás passou a ser comercializado na praça acreana por R$ 65 reais.   O novo reajuste de 6,9% a botija de gás fechou na casa dos R$ 70,00, com o novo reajuste em alguns postos de combustível chegou a ser comercializado no segundo semestre por até R$78,00, enquanto nas distribuidoras de gás girava em torno de R$ 80,00.