Governador acerta prioridade para vacina e pede verba para garantir o atendimento de toda a população

O governador Gladson Cameli já acertou com o ministro da Saúde, general Pazzuello que o Acre será um dos primeiros estados do país a receber a vacina de Oxford, que deve ter suas primeiras doses desembarcando no país ainda em dezembro. Tão logo a Anvisa libere a aplicação da vacina, o Acre será um dos primeiros locais onde ela será oferecida.

A explicação é que o estado se encontra em área estratégica para a contenção do vírus, na fronteira com países andinos, onde a COVID pode aumentar o número de casos a qualquer momento.

O governador disse ao ministro que o Acre tem todo o interesse e que de se dispõe até em buscar o estoque, para agilizar a aplicação.

Apesar dessa promessa do ministro, o governo ainda trabalha com um plano de contingência. Ainda na próxima semana, o governador deve enviar mensagem à Assembleia pedindo a abertura de um crédito suplementar para ser usado, se necessário, na compra da vacina que estiver autorizada e disponível no país.

As primeiras 100 mil doses da coronavac. vacina chinesa produzida com participação do Instituto Butantã já chegaram ao país e aguardam, também, liberação das autoridades sanitárias.

Esta verba também servirá para a compra de eventuais doses suplementares às que forem destinadas ao estado, garantindo a imunização de toda a população.

Pagamento

O governador confirmou que vai pagar a segunda parcela do 13º salário do funcionalismo dia 21 de dezembro, cumprindo integralmente seus compromissos com os servidores públicos.

Obras

O governo deve começar 2021 com um grande pacote de obras. Na sexta-feira, 20, o governador lançou aviso de licitação para as obras da nova cidade administrativa. Ela será construída no bairro Irineu Serra e tem orçamento previsto de R$ 300 milhões. Vai gerar emprego e renda e as empresas locais vão poder participar da licitação.

Sanacre

Outro anúncio do governador é que pretende, na reforma que da administração que pretende fazer até o começo do ano, extinguir o DEPASA. A ideia é voltar com a marca da Sanacre para a autarquia de água e saneamento do estado. Gladson acredita que Depasa é um nome desgastado pelos escândalos ocorridos nos governos passados e está associado à inoperância.

Segundo estudos do governo, o nome Sanacre está incorporado à história acreana, enquanto Depasa sempre soa de forma pejorativa aos acreanos.