Governo busca parcerias para o Primeira Infância Acreana e o Som da Liberdade


publicidade

Para apresentar o Programa Primeira Infância Acreana (PIA), e o projeto Som da Liberdade, ações desenvolvidas pelo governo do Estado, a vice-governadora, Nazareth Araújo e a primeira-dama, Marlúcia Cândida se reuniram na quinta-feira, 30, com representantes de instituições não governamentais em busca de parcerias.

As instituições conheceram as políticas públicas coordenadas pelo gabinete da Vice-Governadoria que visam fortalecer a Rede de Serviços dirigidos às crianças, da concepção no ventre da mãe aos seis anos de vida e também com os adolescentes.

A vice-governadora destacou que o Acre tem chamado atenção pelas boas práticas voltadas aos direitos humanos e dignidade direcionadas aos jovens, mulheres e crianças.

“Com o Programa Primeira Infância Acreana não é diferente. O PIA foi idealizado como um novo modelo de atenção integral, que vai desde o acompanhamento pré-natal das gestantes até os seis anos de idade das crianças”, disse.

A primeira-dama Marlúcia Cândida, disse que o “programa é encantador, pois abrange toda a cadeia de acolhimento desde o nascimento, que é momento principal da vida do ser humano”.

O programa tem o propósito organizar as redes de serviços que envolvem gestantes, crianças e suas famílias, para que estejam preparadas para atendê-la em suas necessidades, acolhê-la compreendendo seu processo de desenvolvimento e protegê-la de todas as formas de violência e negligência.

Um dos parceiros do programa é a United Way. Segundo Paula Crenn Pisaneschi, gerente de Projetos da United Way Brasil, é de extrema importância somar esforços com outros parceiros que possam apoiar a primeira infância. “A gente acredita no Acre e em sua disposição em melhorar a vida de crianças de zero a seis anos e adolescentes”, frisou.

A intenção é estender o PIA a todos os municípios, contribuindo para a construção de um estado onde as crianças possam se desenvolver com qualidade, equilíbrio e inclusão social.

Som da Liberdade

Utilizando a música como instrumento de prevenção, desenvolvendo não apenas as habilidades musicais, por meio de um curso de iniciação musical, mas sobretudo realizando discussões transversais que envolvem temas como drogadição, gravidez na adolescência, violência familiar e outros, o projeto Som da Liberdade tem mudado e melhorado a vida de vários jovens acreanos.

O Som da Liberdade oferece a profissionalização, integrando a música ao processo interdisciplinar. Ele possibilita também a redução das diferenças, contribuindo para a inclusão social de crianças e adolescentes das comunidades selecionadas a participar do projeto.

O projeto conta com a parceria do Movimento de Mulheres Camponesas, Instituto Socioeducativo, Fundação Elias Mansour, Assessoria Especial da Juventude, Política Militar e Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), precisa do apoio da sociedade para que tenha suas ações ampliadas.