Governo deve retomar negociação com sindicatos da educação

O secretário estadual de Educação, professor Mauro Sérgio Cruz deve se reunir com os representantes dos sindicatos da Educação na próxima segunda-feira (dia 25), para tratar da revisão das tabelas do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações (PCCR). O encontro com os sindicalistas está previsto para acontecer na Casa Civil, mas o horário por enquanto, não foi confirmado.

O governador Gladson Cameli, em entrevista concedida a imprensa no dia de ontem, sinalizou com a possibilidade de incluir os servidores da educação nos grupos prioritários que poderão ser imunizados nesta segunda etapa da campanha. Porém, o gestor não deu detalhes do calendário da próxima campanha de vacinação prevista para começar na primeira semana de fevereiro, quando o governo do Estado receberá mais uma remessa de 120 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca processada pelo laboratório Indiano.

Deve entrar na pauta do dia, a possibilidade de retorno das aulas presenciais no próximo dia 8 de fevereiro para os alunos que estão terminando o 9 Ano do ensino fundamental e do 1º ao 2º Ano do ensino médio do quarto bimestre do ano letivo do ano passado em decorrência da pandemia. A direção unificada do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre (Sinteac), do Sindicato dos Professores Licenciados do Acre (Sinproacre), do Sindicato dos Funcionários de Escola do Acre (Sintae) e do Conselho de Diretores das Escolas públicas do Acre (Codep) convoca a categoria para participar de uma paralisação de advertência no dia 1º de fevereiro em frente do Palácio Rio Branco.

A manifestação dos trabalhadores em educação (professores e funcionários de escola) tem como objetivo protestar contra a decisão da secretaria municipal de Educação (Semec) de retomada o curso de capacitação dos professores municipais que serão escalados para encerrar o quarto bimestre do 5º Ano do ensino fundamental –I. “A previsão do retorno do quarto bimestre do ano passado no dia 8 de fevereiro, mas com previsão de encerramento no dia 31 de março deste ano”, contou o coordenador do Codep, Vanderlei Rocha durante entrevista concedida na emissora TV Rio Branco.

A professora Rosana Nascimento, presidente do Sinteac, disse que as escolas da rede municipal não têm estrutura suficiente para cumprir os protocolos de biosseguranças do Comitê Acre sem Covid. Falta uma semana para a capacitação dos professores, mas até agora a prefeitura de Rio Branco não tem nem vacina para imunizar os trabalhadores em educação que estarão na linha de frente, quando o estado vive uma segunda onda da covid-19.

Até o presente momento não foi licitado os equipamentos de proteção individual dos trabalhadores em educação. Além da falta de máscara de proteção para todos os alunos matriculados na rede pública, compra dos medidores de temperatura do portão central das escolas. Não teve reforma ou ampliação dos estabelecimentos de ensino para instalação de pias para higienização das mãos das crianças e adolescentes, a ampliação dos banheiros coletivos para evitar aglomeração dos alunos no horário do recreio, a disponibilidade de totens com álcool em gel nos corredores, tapetes sanitizantes, sinalização do distanciamento de dois metros nos corredores e nas salas de aula.