Governo garante atividade de militares da reserva em órgãos do Estado

Decreto do governo do estado regulariza a situação dos policiais militares da reserva remunerada, que hoje trabalham na segurança dos prédios públicos e nos centros integrados de operações, o ciosp.

Em 2016, um total de 80 policiais da reserva foram convocados para trabalhar nos presídios do estado. Com a criação da Polícia Penal, a segurança nas unidades prisionais passou a ser responsabilidade exclusiva do Iapen, o Instituto de Administração Penitenciária.

Com isso, os PMs da reserva que faziam segurança nos presídios foram enviados a segurança patrimonial do estado.

Quem era da ativa e ficava na função de guarda do prédio foi para rua.

Só que isso estava acontecendo, mas a situação não estava regularizada. No primeiro decreto em 2016, previa apenas o trabalho nos presídios. O decreto atual o 6.403, retroativo a primeiro de janeiro desse ano, o governo corrige e garante a atividade desses militares, que mesmo aposentados voltaram a trabalhar. Segundo o Tenente Coronel Atahualpa Riibera, cerca de 60 militares da reserva trabalham também na guarda das celas que ficam nos quartéis/. São dois em Rio Branco e um em Cruzeiro do Sul. São aproveitados ainda, nas salas de controle de vídeo monitoramento nos centros integrados de operações.

“Não existe novidade nesse decreto apenas regulamentamos o que já estava sendo feito cotidianamente”, declarou o oficial.