Índice de infecção em relação à população deve ainda impedir reabertura da economia no Estado


publicidade

A prevalência do coronavirus no Acre ultrapassou a marca de 16 mil casos por milhão de habitantes, registrando ontem o total de 14.487 pessoas confirmadas com a doença e perto de 400 mortes causadas pela doença, exatos de 391 óbitos até às 18 horas de ontem, acrescimo de nove pessoas que faleceram em razão do vírus.

Com isso, mesmo com a avaliação a ser feita na segunda-feira pelo comitê do Pacto Contra a Covid, são pequenas as chances de vingar qualquer proposta de reabertura do comércio, apesar de manifestações cada vez mais constantes de representantes da classe empresarial com novas exigências e pressões.

Ontem foi a vez do empresário acreano Jorge Pinheiro, presidente da Confederação das Associações Comerciais e Empresariais do Brasil (CACB) e dono do Hotel Pinheiro dizer que os empresários não aguentam mais a paralisação e que precisam produzir.

O Governador Gladson Cameli deve manter as diretrizes acertadas com os prefeitos do estado. Enquanto o Acre estiver com todos os seus municípios na classificação vermelha, nenhuma alteração poderá ser feita, Se alguma região do estado ir para a cor laranja, de atenção, cada prefeito terá autonomia para decidir o que fazer, dentro das diretrizes estaduais, que define o que pode abrir em cada fase da progressão das cores dos cenários da pandemia.

Na fase vermelha, a orientação é única e não dá margem a outras interpretações.

Embora a prevalência da doença seja grande no estado o número de casos tomado isoladamente põe o Acre em um dos últimos lugares do pais em notificações. Mas é preciso notar que a base de comparação são os cerca de 800 mil habitantes do estado, enquanto São Paulo, por exemplo, que lidera o número de notificações, tem 55 milhões de habitantes.

Confira o quadro da distribuição da infecção no país:

Na Região Norte, o Acre também tem menos casos considerados de forma isolada que os estados vizinhos, mas se destaca pela relação entre doentes e população total. Os dados são da Revista Época.