INEP afirma que Acre cresce em qualidade de ensino


publicidade

O Ministério da Educação e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram nesta quinta-feira, 30, os resultados das provas de português e matemática que integram o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

O resultado destacou o Acre entre os nove estados que obtiveram melhora em seu desempenho educacional.

As avaliações foram realizadas no ano de 2017 para alunos da rede pública do 5º e 9º ano do Ensino Fundamental e do 3º ano do Ensino Médio. Mais de 5,4 milhões de estudantes de todo o país participaram desta ação, que ocorre a cada dois anos.

De acordo com o secretário de educação, Marco Brandão, o Acre tem se destacado, porque o governo prioriza a qualidade do ensino, investe na qualificação periódica de seus profissionais, na infraestrutura das escolas e no salário de seus profissionais.

”Esse resultado é fruto de um trabalho planejado, responsável. Nosso compromisso é com o desenvolvimento dos nossos estudantes, com oferta de educação de qualidade. Os resultados apresentados pelo INEP demonstram que a rede estadual do Acre vem progressivamente amadurecendo os processos de ensino e aprendizagem a cada ano”, afirma o secretário.

Brandão destaca ainda que o crescimento na proficiência revela que o Acre tem melhorado justamente no aspecto mais complexo, isto é, nos processos de aprendizagem.

Na próxima segunda-feira, 3, o Ministério da Educação divulgará os resultados, que junto com os dados do Saeb, ajudam a compor o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Um forte projeto de inovações

A conquista do Acre como um dos nove estados do país a melhorar seu desempenho educacional reflete um longo trabalho de investimentos na educação do estado, consolidados na gestão do governador Tião Viana.

O estado comemora um novo tempo nas relações entre a escola e a comunidade. O grau de comprometimento do governo com a educação do povo acreano extrapola os muros da escola e se consolida em programas que alicerçam o ensino regular, contribuindo com a formação dos amazônidas desta parte do Brasil.

Para se ter uma ideia, ao longo dos últimos anos houve conquistas educacionais em todas as áreas do conhecimento, como a implantação dos Colégios Militares, a criação do Quero Ler, do Instituto de Matemática, Ciência, Filosofia e Ética (IMCFE) e do Centro de Estudo de Línguas (CEL). Além, também, da adesão do Ensino Integral.

Só a valorização dos profissionais da Educação pelo governo do Estado se traduz em conquistas como o reajuste salarial pago para mais de 15 mil servidores, cuja última parcela foi depositada no último mês de fevereiro deste ano.

Os investimentos também podem ser notados nos espaços físicos de ensino. O número de escolas saltou de 182, em 2011, para 213, em 2016. Em sete anos foram construídas 73 escolas de ensino indígena com investimento de mais de 4,5 milhões.

Esse trabalho em todos os segmentos do ensino se reflete no Ideb do Estado. Nos anos iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano), o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), do Acre aumentou de 5,0 em 2013 para 5,5 em 2015, ultrapassando a meta de 4,7 estabelecida pelo MEC.

O Ideb mostra que de 2005 a 2015 o Acre tem apresentado ganhos de 2,2 pontos, superando a média da Região Norte (5,0). Na segunda etapa do Ensino Fundamental (6º ao 9º ano), o índice em 2013 e 2015 foi de 4,4.