Inspeções do TCE apontam sobrepreço ou pagamento a mais em obras de hospitais de campanhas

Inspeção do Tribunal de Contas do Estado, aponta que nas obras dos hospitais de campanha de Rio Branco e de Cruzeiro do Sul, pode haver um sobrepreço nas construções que pode chegar a valor de R$ 533 mil. As constatações foram feitas em maio e agora o estado conta com prazo de 15 dias para justificar as diversas possíveis irregularidades encontradas.

A inauguração do prédio do hospital de campanha em Rio Branco, ocorrida no dia 15 desse mês, contou até com a presença do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. O governo do estado, em 30 dias, deixou 100 novos leitos de enfermaria prontos para o atendimento exclusivo para covid 19, um gasto de R$ 2.975.000,00.

Mal começaram os atendimentos e já aparecem as primeiras dúvidas quanto aos gastos da obra do hospital que funciona anexo ao INTO, o instituto de traumatologia do Acre.

Inspeções do TCE apontam sobrepreço, ou pagamento a mais, em diversos itens.

A empresa responsável pela obra, que pertence a familiares do governador Gladson Cameli, informou que gastaria com a folha de pagamento R$ 155 mil. Analisando os salários, o TCE apontou que esse gasto seria de no máximo R$ 95,7 mil, um sobrepreço de R$ 59 mil.

Na cobertura a empresa mostrou um custo de quase R$ 239 mil. Na verificação da quantidade de aço usado, os auditores descobriram que era bem menor, o que daria um valor aproximado de R$ 214 mil, uma diferença de R$ 66 mil. No forro, outra diferença alta de R$ 103 mil.

O que mais chamou atenção na planilha apresentada que o custo da rede de gás medicinal. A construtora apresentou um gasto de quase R$ 287 mil, mas quando se olha a qualidade e quantidade dos tubos, esse valor não seria mais de R$ 50 mil, só nessa etapa o valor que pode ter sido pago a mais chega a R$ 236 mil.

Existem outras divergências que o TCE não conseguiu apurar com detalhes, como os valores a mais nas instalações elétricas.

No final, o hospital e campanha de Rio Branco pode ter ficado mais caro aos cofres públicos R$ 483 mil, esse é o valor do sobrepreço encontrado pelos auditores do Tribunal de Contas.

No hospital de Cruzeiro do Sul, que ainda não foi inaugurado, o sobrepreço chega a R$ 151 mil. Os auditores descobriram que os pagamentos a mais, em salários, podem ter uma diferença de R$ 77 mil e na cobertura a empresa pode estar cobrando a mais R$ 74 mil.

A relatora do processo, conselheira Naluh Gouveia, deu um prazo de 15 dias para o governo se explicar.

O Secretário de infraestrutura, Ìtalo César, disse após reunir todas as informações vai repassar a imprensa. Segundo o secretário existem várias divergências no relatório do TCE.