Júri popular: audiência de instrução vai decidir como serão julgados réus acusados de atropelamento

Presos logos após o acidente que tirou a vida de Jhonliane Paiva, no dia 6 de agosto, Alan Lima e Ícaro Pinto, podem ir a júri popular. Nessa quarta-feira (16) será realizada audiência de instrução na primeira vara do tribunal do Juri. O Juiz vai decidir se acata o pedido do Ministério público para que os dois respondam por homicídio, onde um corpo de jurados vai decidir a sentença. A defesa dos acusados quer enviar o processo para uma vara criminal alegando acidente de trânsito.

A família de Jhonliane Paiva, se prepara para enfrentar mais essa fase do processo. Segundo José Jhonata Paiva, irmão da vítima, a sociedade espera um desfecho desse caso, no qual os acusados serão condenados por homicídio doloso. “Quando a pessoa se propõe a um racha e mata alguém é crime doloso, ele assume a responsabilidade de tirar a vida”, alegou.

Alan Lima e Icaro Pinto, tiveram 4 habeas corpus negados, tentavam responder o processo em liberdade. A família de Jhonliane, disse que conseguiu imagens de câmeras comprovando que os dois acusados estavam apostando corrida no dia do acidente. “São várias imagens que mostram até um dia antes os dois com os veículos lado a lado se preparando para um racha”, disse o irmão da vítima.

Segundo a perícia, Ícaro Pinto, que conduzia a BMW que matou a vítima, estava a uma velocidade estimada de 151 km/h. Velocidade três vezes maior que a permitida na Avenida Antônio da Rocha Viana, que é de 50 km/h. O motorista do caro branco, Alan Lima, estava a 86 KM/h.