Justiça condena assassinos de jovens na Expoacre a 89 e 77 anos de prisão

Acabou ontem à noite, 21, julgamento na 2ª Vara do Tribunal do Júri que condenou dois dos três acusados de matar três adolescentes que desapareceram após saírem da Expoacre, em 2018. Na época, o crime chocou a sociedade acreana.

Clenilton Araújo de Souza foi condenado a 77 anos e Francimar Conceição da Silva a 89 anos de prisão pelos crimes de homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, em regime fechado. Luiz Gonzaga, outro acusado de envolvimento na morte dos adolescentes foi absolvido pela justiça.

Foto: G1.

As vítimas são Vitor Vieira de Lima, 18 anos, Amanda Gomes, 14 anos, e Isabele Silva Lima, 13 anos. O rapaz e as garotas desapareceram no dia 5 de agosto de 2018 e foram achados mortos no bairro Taquari, na região do Segundo Distrito de Rio Branco.

À época, Vitor Vieira de Lima, 18 anos, foi achado dias após o sumiço. De acordo com o delegado responsável pela investigação, o jovem foi esfaqueado e atirado dentro de um poço ainda vivo e morreu afogado. Já Isabele Silva Lima, 13 anos, foi achada morta em uma área de mata. No dia 23 de agosto de 2018, os ossos de Amanda Gomes foram encontrados pela polícia.

O julgamento dos envolvidos começou na terça-feira (20) e terminou nesta quarta-feira, 21. Foram ouvidas mais de 14 testemunhas que terminou com penas somadas de 166 anos de prisão.