Líder de facção tenta arrombar parede e fugir de presídio de segurança máxima


publicidade

F.S.M, considerado de alta periculosidade e cumprindo pena no sistema de Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) na Unidade de Readaptação Social Antônio Amaro Alves, presídio considerado de segurança máxima foi apresentado na tarde de segunda-feira na Delegacia de Flagrantes, onde foi autuado por crime de danos ao patrimônio público.

Líder de uma facção criminosa, ele iniciou a abertura de um buraco na parede de cimento armado, por onde pretendia fugir. Ele se aproveitou a ausência de Agentes Penitenciários por conta da retirada do banco de horas para perfurar a parede com mais de 40 centímetros de espessura.

Reprodução

De acordo com as informações, depois que o Governo do Estado tirou o banco de horas do Agentes Penitenciários, que por falta de efetivo suficiente, as horas diárias com revistas em todas as celas que eram feitas quase que diariamente ficaram suspensas. Como cada cela é ocupada por apenas um preso, F.S. com uso de uma ferramenta adaptada abrir um buraco de 40 x 40 na parede de concreto armado. Na manhã de segunda-feira quando faziam uma revista na Cela 612 do Pavilhão VI os agentes descobriram o buraco apenas em fase de início, e que estava camuflado com pasta de dente e papel higiênico.

Diante do flagra o detento que é líder de uma facção e cumpre pena no sistema de Regime Disciplinar Diferenciado foi levado para a DEFLA e autuado por danos ao patrimônio público.

De acordo com os agentes de segurança, o preso dificilmente conseguiria êxito na fuga já que a parede é construída em cimento armado e necessitaria dezenas de noites de trabalho para perfurar a parede e teria mais dificuldades ainda em cortar a ferragem feita em aço.

 

Antônio Carlos Batista “Malvadeza”.