Mazinho cobra mais apoio do governo do Estado para Sena

Cezar Negreiros

O prefeito emedebista Mazinho Serafim teve uma discussão acalorada, com o governador Gladson Cameli. O bate boca aconteceu na tarde de ontem, durante a apresentação dos investimentos do governo do Estado no encontro intermunicipal ocorrido no auditório da Associação dos Municípios do Acre (Amac). Mazinho cobrava mais apoio do governo do Estado a sua gestão no município de Sena Madureira no Vale do Yaco. “Você tem muita propaganda e a gente precisa informar a realidade. Como prefeito da cidade, me sinto abandonado pelo seu governo”, desabafou em aos gritos.

Diante dos insultos do adversário político, governador respondeu moderadamente as suas acusações. O prefeito Tião Bocalom (Progressistas), que estava sentado entre os dois políticos deu uma de bombeiro para acalmar os ânimos dos dois gestores. Mazinho cobrava a recuperação dos ramais previstos na emenda do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), pois alegava que o serviço de recuperação das estradas vicinais não tinha chegado ao seu município. Pediu mais recursos para a Saúde, porque em sua cidade já foram diagnosticado 2.718 casos de covid-19 e 16 óbitos registrados desde os primeiros casos com sorologia positiva.

RATEIO

A emenda de R$ 94 milhões foi liberada pela superintendência da Caixa Econômica Federal (CEF) para recuperação das estradas vicinais nos 22 municípios. Os recursos estavam garantidos no Orçamento da União desde 2016, mas os recursos foram destinados para recuperar os ramais nos municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul, Acrelândia, Plácido de Castro, Senador Guiomard, Epitaciolândia, Brasileia, Feijó e Tarauacá, com a recuperação de 300 quilômetros que seriam executados em 11 ramais, com maior potencial de produção agrícola.

Ficou acordado um aporte de recursos entre R$ 15 a 20 milhões, destinado atender outros municípios que ficaram de fora do programa de recuperação dos ramais. O município de Sena Madureira abocanharia uma parcela, mas o prefeito precisa apresentar um projeto/técnico dos ramais que seriam contemplados na zona rural do Vale do Yaco.