MEC volta atrás sobre filmagem de crianças cantando hino nas escolas

O Ministério da Educação (MEC) enviará a escolas do país, ainda nesta terça-feira (26), uma carta atualizada do ministro, professor Ricardo Vélez Rodríguez, com um pedido de cumprimento voluntário para que seja lida no primeiro dia letivo deste ano.

Reprodução

Ele determinou que seja retirado o trecho em que pede que crianças sejam gravadas em vídeo, alinhadas para cantar o Hino Nacional.

O ministro disse ainda, que “percebeu o erro” de inserir o slogan da campanha de Jair Bolsonaro “Brasil acima de tudo. Deus acima de todos”, ao final do e-mail.

Aos jornalistas, Rodríguez disse que tirou “a parte correspondente a filmar crianças sem a autorização dos pais” e, “se alguma coisa for publicada será dentro da lei, com a autorização”.

A polêmica iniciou depois que o Ministério da Educação enviou a todas as escolas do país, públicas e privadas, um e-mail em que pedia que fosse lida uma carta aos alunos, professores e funcionários com o slogan da campanha de Bolsonaro.

O comunicado também recomendava que todos fossem “perfilados diante da Bandeira do Brasil” e tocado o Hino.

A medida repercutiu nas redes sociais e foi questionada por escolas e famílias de alunos. Em nota, o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Educação (Consed) disse que a ação feria não apenas a autonomia dos gestores, mas também os entes da Federação. Com informações do Estadão.