Mesmo com COVID, Acre é o único estado a ter mais empregos criados que demissões

O Acre é o único estado do país que apresentou saldo positivo na abertura de novas vagas de trabalho no acumulado dos meses de janeiro a maio, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão ligado ao Ministério da Economia. Pelos dados divulgados na quarta-feira, dia primeiro de julho, no cumulado do início do ano a maio, o Acre abriu 1.327 empregos, tornando positiva a relação entre admissões e desligamentos, No período, segundo o Caged, 11.700 pessoas foram admitidas e 10,373 demitidas no estado, com saldo positivo de 1,68%, o maior e único do país a mostrar crescimento de empregos.

O número mostra que, ao contrário de previsões mais catastróficas, o impacto do COVID 19 no mercado de trabalho, pelo menos até maio, não foi de impacto decisivo. No mês de maio, o Acre teve saldo de criação de 130 postos de trabalho a mais que as demissões.

Todas as regiões brasileiras extinguiram empregos com carteira assinada em maio. O Sudeste liderou o fechamento de vagas, com 180.466 postos a menos, seguido pelo Sul com menos 78.667 postos e pelo Nordeste com menos 50.272 postos. O Centro-Oeste fechou 12.580 postos de trabalho e o Norte extinguiu 10.151 postos formais no mês passado.

Na divisão por unidades da Federação, as maiores variações negativas ocorreram em São Paulo com o fechamento de 103.985 postos; Rio de Janeiro, 35.959 postos; Minas Gerais, 33.695 postos, e Rio Grande do Sul, 32.106 postos de trabalho.