Ministério da Saúde anuncia novo medicamento para hepatite C no Acre

secom_acre_SV_22_09_2015-3-580x279

O governador Tião Viana se reuniu na Casa Civil, nesta terça-feira, 22, com o diretor Nacional do Programa DST/Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde (MS), Fábio Mesquita, que anunciou o lançamento do novo protocolo da Hepatite C no estado. Os medicamentos revolucionários propõem 90% de chance de cura, e serão ofertados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O Acre terá preferência na entrega, que deverá se iniciar em outubro. “Minha gratidão em nome do Acre ao governo federal. Vamos avançar muito. Estamos a um passo de uma nova agenda para as hepatites no estado”, agradeceu Tião Viana.

Além de superar as expectativas dos remédios usados atualmente, que possuem no máximo 47% de chance de cura, o novo tratamento apresenta menor custo, tem mais potencial e provoca menos efeitos colaterais.

“Hoje se nós tivéssemos de adquirir esses medicamentos gastaríamos em média R$ 300 mil por paciente. Mas mediante as parcerias firmadas e o esforço da presidente Dilma Rousseff, será possível entregar o medicamento aos pacientes de todos os estados da federação e o Acre, por ter grande incidência da doença, terá prioridade”, observou o gestor.

O diretor nacional explicou que veio pessoalmente ao estado para ajudar a analisar, avaliar e discutir os problemas das hepatites virais, além de lançar o novo protocolo da hepatite C e dar andamento à vinda dos novos medicamentos. “Vamos avançar, ainda, numa discussão mais aprofundada sobre a hepatite Delta (D), um problema amazônico de extrema relevância”, acrescentou Mesquita.

O deputado estadual Heitor Júnior, mediador da agenda entre o governo do Estado e o MS, defendeu que este é um momento histórico para a Saúde Pública do Acre: “A liberação dos novos medicamentos inibidores de protease, que representam a cura total da hepatite C, é um grande ganho para o estado. A medicação, vinda de fora, deve seguir o protocolo de liberação do Ministério da Saúde e acompanharemos o envio para o Acre”, disse o parlamentar.