Missões ambientais trabalham para conter ocupações irregulares nas florestas do Acre

Foto: Cleiton Lopes/Secom

Em reunião realizada nesta segunda-feira, 22, representantes das mais de dez instituições que compõem o Comitê de Ações Integradas de Meio Ambiente discutiram a situação das ocupações irregulares nas florestas estaduais.

As invasões nas florestas, especialmente na Floresta Estadual do Antimary e Floresta Estadual do Afluente, vêm sendo tratadas como prioridade nas missões integradas contra crimes ambientais pelo governo do Acre e conta com uma força tarefa dos órgãos ambientais municipais, estaduais e federais.

As missões são realizadas com equipes em campo por via terrestre e também aérea e são coordenadas pela Sema, por meio de ações de monitoramento, comando e controle para coibir o desmatamento, queimadas, incêndios florestais e ilícitos ambientais em todo território acreano, em especial nas unidades de conservação do estado.

Diante da situação considerada de alta criticidade pelos participantes do encontro, as missões integradas continuarão a ser intensificadas.

As missões integradas contam com apoio financeiro do Programa de Saneamento Ambiental e Inclusão Socioeconômica do Acre (Proser /BIRD), do Programa de Desenvolvimento Sustentável do Estado do Acre (PDSA II/BID) e do Programa REM Fase II – Reino Unido (BEIS) e Cooperação Financeira Alemã (KfW).

Foto: Divulgação.

SAIBA MAIS

As missões integradas são realizadas em todas as florestas, no Parque Estadual Chandless e na Área de Relevante Interesse Ecológico Japiim Pentecoste, reunindo equipes da Sema, Imac, Polícia Civil e Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) da PMAC, com o apoio da Força Nacional.

Além da Força Nacional, as instituições federais parceiras são o Exército Brasileiro, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Polícia Federal e Ministério Público Federal (MPF).