Na Rondônia Rural Show, Gladson Cameli participa do lançamento de selo comemorativo e diz que Acre está aberto para o progresso

Governador disse que Rondônia é parceiro e convidou empresários a investirem no Acre

Durante a abertura da 8ª edição da Rondônia Rural Show, o governador do Estado do Acre Gladson Cameli, participou do lançamento do selo postal comemorativo ao evento que será utilizado pelos Correios em correspondências de todo o Brasil. Esta é a primeira vez que o Acre marca presença, oficialmente, na maior feira de agronegócios da Amazônia, que segue até o próximo sábado, 25.

(Foto: Odair Leal/Secom)

Em sua fala, o governador Cameli lembrou que o Acre foi na contramão do progresso por decisões políticas tomadas durante duas décadas quando, equivocadamente, apostou no modelo da florestania como base da economia acreana, enquanto isso, o Estado vizinho adotou a produção rural e hoje figura como uma potência agrícola na Região Norte. Entre os destaques positivos, Rondônia lidera na produção de soja, possui o maior rebanho bovino e é referência nacional na criação de peixe nativo em cativeiro.

O gestor disse que a saída para o caos que se encontra o Estado está na geração de novos postos de trabalho para a população acreana. Gladson afirmou que não medirá esforços para que isso aconteça no decorrer do seu Governo.

“Pegando esta experiência que Rondônia tem no agronegócio, queremos pegar o que deu certo aqui e levar para o nosso Estado e eu não tenho dúvida que a salvação econômica, o que gera emprego e renda é deixar trabalhar quem realmente quer trabalhar. Eu aproveito esta oportunidade para convidar quem quer investir também no Acre. Estamos de portas abertas porque a nossa linha de Governo é a mesma do governador Marcos Rocha, que é abrir o Estado para o desenvolvimento e fortalecer a agricultura e a industrialização”, destacou.

Burocracia não impedirá o crescimento econômico do Acre

Gladson Cameli tem a ousada meta de abrir o Acre para o agronegócio e todo tipo de investimento que traga o desenvolvimento por meio da geração de emprego e renda. Para que este cenário seja efetivado, entraves burocráticos estão sendo retirados e a Lei Ambiental estadual passa por uma readequação que garantirá ao homem do campo a segurança necessária para que possa produzir em larga escala.

“Nós temos um mercado imenso não somente no Brasil, mas os países andinos e a Ásia. Essa é uma oportunidade ímpar que temos para alcançar estes países e fortalecer a economia do Acre, Rondônia, Amazonas e Roraima. Os Estados do Norte estão unidos e vamos nos unir ainda mais para que os milhões de amazônidas que vivem aqui sejam os principais beneficiados”, apontou.

Para o governador de Rondônia, Marcos Rocha, a presença de Cameli, demonstra respeito e admiração pelo atual momento econômico que o seu Estado atravessa. Defensor do agronegócio, o gestor rondoniense foi categórico ao dizer que apostar no potencial agrícola é a melhor opção para o desenvolvimento dos Estados do Norte brasileiro.

“O governador Gladson Cameli está aqui com a gente porque viu a potencialidade da nossa região e o que a Rondônia Rural Show faz ao engrandecer o Estado e faz, também, com que possamos nos desenvolver economicamente. Sabemos que através do agronegócio vamos chegar longe e, consequentemente, abençoando as nossas populações, bem como todo o nosso Brasil”, enfatizou.

Norte do Brasil: o novo corredor de exportação para o mundo

Com mais de 90% das obras concluídas, a ponte sobre o Rio Madeira, na região de Abunã (RO), será inaugurada no segundo semestre deste ano. A estrutura gigantesca teve o apoio incondicional de Gladson Cameli, enquanto senador da República e governador do Acre, na cobrança por recursos federais para que a construção não parasse.

A ponte ligará, de uma vez por todas, os oceanos Atlântico e Pacífico por meio da BR 364, no Brasil, e pela rodovia Interoceânica, no lado peruano. Era o que faltava para assegurar a integração com os países andinos e o continente Asiático.

“A conclusão da ponte do Madeira é um sonho antigo dos acreanos. O nosso foco é trabalhar para que possamos nos tornar um grande corredor de exportação e importação. Para se ter uma ideia, a economia de tempo no transporte de mercadoria da China para o Brasil é de dez dias pelo Porto de Ilo, no Peru. Temos que consolidar esta rota e aproveitar as oportunidades que virão”, observou Cameli.

Outro importante passo dado para a consolidação deste novo corredor rodoviário diz respeito ao asfaltamento da BR 319, entre as cidades de Porto Velho e Manaus.

De acordo com Marcos Rocha, o projeto e o licenciamento ambiental da rodovia estão entre as prioridades do Governo Federal para 2020. A construção e manutenção da estrada ficará sob a responsabilidade do Exército Brasileiro. Os governos e as bancadas federais dos Estados do Norte estão unidos para conseguir os recursos que assegurem a pavimentação dos quase 900 quilômetros da rodovia federal.