‘Nunca tive acusação sobre uso indevido de dinheiro público’

Durante o encontro da executiva nacional do PDT, a presidente Dilma Rousseff reafirmou que durante sua militância no partido e posteriormente no PT, nunca teve qualquer acusação sobre uso indevido de dinheiro público.

dilma-legal

Como refere o jornal O Globo, Dilma ressaltou que não tem dinheiro no exterior, ela já havia dito isso em resposta ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quando acatou o parecer de juristas sobre o impeachment da presidente. Dilma defende que tem uma “vida absolutamente ilibada”.

“No caso do presidencialismo é necessário que tenha culpa formada. Não se pode tergiversar sobre isso, porque é politico, porque eu não gosto do governo, e isso é o que temos assistido aqui. Não tenho na minha vida, ao longo do tempo no PDT ou no PT, nenhuma acusação de uso indevido de dinheiro público. Não tenho dinheiro no exterior, tenho uma vida absolutamente ilibada e honro meus companheiros, porque sei que meus companheiros sempre combateram mau uso do dinheiro público, da corrupção, e fomos sempre nós que defendemos a democracia”, disse a presidente.

Ainda segundo a publicação, Dilma, que foi militante do PDF, ficou emocionada ao falar sobre o ex-governador Leonel Brizola, que faria 94 anos nesta sexta-feira, e do ex-presidente João Goulart.

“Na minha vida política um homem teve muita importância, e foi Leonel Brizola. A vida me permitiu duas coisas: trazer o corpo do Jango de volta, e a segundas foi conduzir Leonel Brizola entre os heróis da pátria. Acho importante um povo ter seus heróis”, ressaltou a petista.

Além disso, Dilma disse ter certeza que Brizola, fundador do PDT, defenderia a “soberania e legalidade” do país, porque ele tinha um “faro imenso para tentativas de golpe”.

“Na ditadura, feliz do povo que não tem heróis, porque na ditadura o herói é aquele que morre sob tortura. Mas, na democracia, feliz do povo que tem heróis, e nós podemos dizer que temos heróis. O Brizola defenderia a soberania desse país e a legalidade e a democracia nesse país. Se tinha uma pessoa com faro imenso para tentativas de golpe, até porque foi vítima de um, esse é o Brizola”, frisou.

O Globo destaca que a executiva nacional do PDT foi unanime na posição contrária ao impeachment de Dilma. A reunião do partido também discutiu a favor do afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara.

O encontro do PDF foi liderado pelo presidente da legenda, Carlos Lupi, e com a presença de Ciro Gomes e do ministro das Comunicações, André Figueiredo. Foi confirmada a candidatura própria da legenda em 2018. Lupi anunciou que terão candidato a presidente e os militantes do partido saudaram Ciro Gomes como “futuro presidente”.