PARALISIA INFANTIL: Vacinação contra a poliomielite é prorrogada

Vacinação protege as crianças e evita a reintrodção do poliovírus selvagem. Foto: Thiago Gomes/O Liberal

Prazo terminaria hoje, mas apenas 28% da meta de imunização do público-alvo foram alcançados. Campanha vai até 30 de novembro.

A campanha de vacinação contra poliomielite será prorrogada até 30 de novembro. O prazo iria até hoje, porém, da meta de 595.688 crianças, de um ano a menores de cinco anos, só 28% foram vacinadas – 165.688 crianças. Os dados foram informados pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) às 12h de ontem. A campanha começou em 5 de outubro.

A vacinação contra poliomielite visa proteger as crianças e evitar a reintrodução do poliovírus selvagem no Brasil. No Pará são 2.883 mil postos disponíveis para campanha, sendo 1.876 mil fixos, 887 volantes e 120 fluviais, contando com 15.524 trabalhadores diretos e 3.110 equipes de vacinação.

“Basta a família levar a criança à Unidade Básica de Saúde (UBS) mais perto de sua casa, e apresentar o documento de identidade e a carteira de vacinação”, disse a coordenadora estadual de imunizações da Sespa, Jaíra Ataíde. As crianças devem receber a vacina oral de poliomielite (VOP) se já tiverem recebido as três doses da vacina inativada de poliomielite (VIP). Menores de um ano (de 29 dias até 11 meses) devem ser vacinadas com a VIP, conforme as indicações do calendário nacional de vacinação.

Até agora, o melhor desempenho municipal é de Santarém Novo, com 81,95% da população vacinada contra a pólio. O pior desempenho é de Breves (Marajó), com índice de cobertura de 4,4%.

Jaíra Ataíde reforça que as vacinas estão sempre disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde e que as campanhas são a oportunidade de resgatar imunizações que deixaram de ser feitas no tempo devido. “Conservar a carteira de vacinação é fundamental para a saúde de crianças, jovens e adultos, pois é nela que estão registradas todas as doses tomadas ao longo da vida”, alertou.

Poliomielite, pólio ou paralisia infantil (pode atingir adultos) é uma doença contagiosa aguda causada pelo poliovírus, que pode infectar crianças e adultos por meio do contato direto com fezes ou com secreções eliminadas pela boca das pessoas doentes. Pode provocar ou não paralisia. Nos casos graves, em que ocorrem paralisias musculares, os membros inferiores são os mais atingidos.

“Conservar a carteira de vacinação é fundamental para a saúde de crianças, jovens e adultos”.