Perigo para a pecuária acreana: em dois anos, redução de mais de 600 mil animais


publicidade

O que aconteceu com a pecuária acreana? Se o setor ainda é o um grande esteio da economia estadual, os sinais são cada vez mais preocupantes, Uma grande evasão de impostos, a venda e o abate descontrolado de matrizes e boi gordo vendido como magro, exportados por meio de liminares, com declarações de cargas falsas, sem gerar um centavo para o estado pode estar ferindo de morte uma das mais solidas estruturas da economia do Acre. Em dois anos, estima-se que houve o abate de 624 mil cabeças vendidas a abatedouros de fora do estado, sem preocupação de reposição, o que agra se mostra tecnicamente inviável.

A denúncia está sendo feita por pecuaristas, por pessoas em toda a linha de produção da proteína animal, e também pelo Sindicato das Indústrias de Frigoríficos e Matadouros do Estado do Acre – Sindicarnes, que aponta os prejuízos dessa saída descontrolada de gado acreano.

O esquema é sustentado por marreteiros de outros estados, que levam o gado geralmente de forma irregular, cometendo crime de evasão fiscal. O gado gordo é exportado como gado magro, que paga menos imposto ou tem isenção, Há fraude nas guias. O sindicato denuncia que já foi aberto um inquérito policial há mais de um ano e até agora nada foi feito, segundo o sindicato.

Os abates no estado vêm diminuindo há quatro anos, no período de 2016 a 2019, conforme dados do IBGE. Bois gordos estariam sendo abatidos em Frigoríficos do Amazonas sem pagar imposto, prejudicando ainda mais as indústrias Acreanas que estão perdendo a matéria prima, que é o boi.
O rebanho em 2019 era de 3.513.820 cabeças, no recadastramento de junho de 2020 esse número caiu para 2.889.247 cabeças, uma perda de 18%. Ou seja, o equivalente a 624.573 cabeças (Fonte IDAF).

Com isso, com menos gado, sobe o preço do boi para os açougues e para a população.

Essa saída sem controle de gado tem como destino os estados de Rondônia, Amazonas, Mato Grosso, Minas Gerais e até São Paulo. Isso poderá fazer com que o preço da carne tenha um aumento jamais visto no Acre. Quase não boi gordo para abate nos frigoríficos do estado.

Hoje a carne bovina saltou de R$ 10,50 para R$ 12,80 o preço do quilo que chega às casas de carnes, mercados e açougues. Aumento fruto desse descontrole.