‘Perseguição’ a Lula mostra que direita ‘não tem candidato’

ex-presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (8) que a “perseguição judicial” contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorre porque a direita “não tem um candidato” para as eleições de 2018. As informações são da agência EFE.

A petista fez declarações durante conferência em Montevidéu, no Uruguai. “Se tivessem um candidato não tentariam tanto destruir o Lula. Querem destrui-lo porque não têm um candidato”, disse a ex-presidente.

Dilma comparou a situação com o impeachment sofrido por ela. “É como o meu golpe, eles consideraram durante um tempo que era justo e nós temos que desmontá-lo e mostrar que é uma perseguição política e uma injustiça”, afirmou.

Por isso, Dilma defendeu que os brasileiros se empenhem para escolher um candidato na próxima eleição. “Para nós é fundamental conseguir reverter este projeto, e este só poderá ser revertido agora em 2018, se não a luta de longo prazo é muito mais dura”, comentou.

“A democracia para nós é o lado certo da história, sempre que estivemos com a democracia, ganhamos. Sempre que aprofundamos a democracia, ganhamos. E sempre que a radicalizamos, ganhamos. Agora estamos em um momento em que vamos resistir, Lula será candidato a presidente do Brasil”, disse.

A ex-presidente fezi o discurso o ato de encerramento do 31° Congresso da Associação Latino-Americana de Sociologia, que começou no último (3) e terminou nesta sexta. O evento foi organizado junto ao Conselho Latino-Americano e Caribenho de Ciências Sociais (Clacso).