Poder público e sociedade civil somam esforços para atender vítimas das enchentes

As enchentes que assolam o Acre neste período do ano, somadas à pandemia da Covid-19, surto de dengue e crise migratória, necessitam de grande apoio do poder público, mas a ajuda solidária por parte dos cidadãos constrói uma aliança entre governo e sociedade civil, em prol dos que mais precisam.

Campanha Seja Solidário irá beneficiar famílias atingidas pelas enchentes. Foto: Júnior Aguiar

Por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social dos Direitos Humanos e de Políticas para Mulheres (SEASDHM), o governo está recebendo doações em conta corrente, no Banco do Brasil, Ag. 35505 C/C:100-7, e promoverá a distribuição de cestas básicas, sopas, massa de mingau, alimentos, roupas, calçados e materiais de higiene e limpeza.

Arte: Secom

Com o título “Seja Solidário”, a campanha possui pontos de entrega em todas as secretarias de Estado, onde servidores e população em geral podem realizar as doações de materiais e utensílios para as vítimas. A SEASDHM está elaborando um plano de ação para o recebimento das doações e distribuição, que será divulgado nos próximos dias.

No domingo, 21, foi iniciada a entrega de sopas para comunidades carentes e pessoas em vulnerabilidade na capital Rio Branco.

“Esta é uma agenda extremamente positiva, já que conseguimos, em parceria com a Fecomércio, alcançar os mais necessitados em meio a tantas crises que o estado vem passando. Nosso desejo é estreitar ainda mais os laços, com nosso suporte logístico, e com o apoio do Sesc”, afirma o diretor de Gestão da secretaria, André Crespo.

A ação da SEASDHM contou com a parceria do Serviço Social do Comércio (Sesc), por meio da iniciativa Mesa Brasil, e da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio/AC), e pretende distribuir diariamente 800 potes de sopa, com o intuito de diminuir o impacto causado por fortes chuvas e enchentes. Em Cruzeiro do Sul, a distribuição da refeição se inicia hoje, e serão entregues 300 potes diários.

Primeiro dia de distribuição de sopa, domingo. Foto: cedida

“Estamos aqui nos bairros, com esta ação que busca diminuir um pouco a dor de quem foi atingido com essa situação de calamidade que nosso estado passa, sem falar da pandemia”, afirma Marizete Melo, coordenadora do Programa Mesa Brasil do Sesc Acre. A iniciativa combate a fome e o desperdício a partir de parcerias, e transforma a vida de crianças, jovens, adultos e idosos em todo o Brasil.

Solidariedade diária

Início da distribuição no Sesc Bosque. Foto: Junior Aguiar

Na segunda-feira, 22, a distribuição de sopa na capital acreana teve início no período da tarde, com carga de centenas de unidades do alimento em vasilhas descartáveis, higienizadas, com colher de plástico e data de validade impressa depositada num caminhão-baú para serem entregues em cinco bairros por servidores e técnicos da SEASDHM e Sesc. Os alimentos são produzidos diariamente no restaurante do Sesc Bosque, com sabores variados, conforme o dia.

Desde a coleta da sopa até a entrega para a população, o sentimento de solidariedade tem contagiado todos os envolvidos, desde o motorista até quem vai de porta em porta para oferecer a refeição.

Sopas sendo entregues em comunidades atingidas pelas cheias. Foto: Junior Aguiar

A assistente social Jerusa Santos e o técnico Samuel Willard de Souza, da SEASDHM, estavam entre os responsáveis pela entrega, desde as primeiras horas da tarde, no Sesc, até o último pote entregue, no início da noite. Foram percorridas as regiões da Baixada da Colina, Cidade Nova, Cadeia Velha, Sapolândia e Papouco Dom Giocondo.

A assistente social Jerusa e o técnico Samuel Willard realizaram entregas. Foto: Júnior Aguiar.

Depoimento de pessoas afetadas pelas cheias

“Acho muito boa a parceria do governo, isso ajuda muito neste momento difícil. Aqui em casa a água subiu mais de um metro e perdemos um ármario e eletrodomésticos. Isso tem umas três semanas, e tive que me mudar com minha esposa e filho para a casa do meu sogro. Voltamos faz poucos dias.”
Marcelo Santos, autonômo, morador da Baixada da Colina
“Fico feliz de ver o governo agindo por nós, indo ajudar diretamente quem precisa, porque os últimos dias foram de muita tristeza. Fiquei seis dias sem sair de casa, ilhada, sem poder pisar no chão, mas graças a Deus minha casa não alagou.”
Maria Rita, técnica de enfermagem, moradora da Cadeia Velha
 
“Minha casa não alagou, mas ao redor, nas ruas vizinhas, [a água] afetou muita gente. Como comerciante, tento ajudar como posso neste período, compro gás pra um vizinho, abono o aluguel de um inquilino e por aí vai. Precisamos olhar para nosso próximo. Inclusive vou pegar uma sopa para um vizinho que está precisando, provavelmente está com fome agora.”
Manuel Saraiva, comerciante, morador da Cadeia Velha
“Todos nós da região tivemos muita dificuldade ultimamente, com problemas para trabalhar e até pôr o pé na rua. Pelo menos hoje podemos tomar uma sopa, que pela ‘cara’ tá deliciosa.”
Douglas Garcia, ajudante de mecânico, morador da Cadeia Velha
 

 

Distribuição de sopas em Cruzeiro do Sul

Serão produzidas no Sesc de Cruzeiro do Sul, nos moldes da parceria entre SEASDHM, Fecomércio e Mesa Brasil Sesc Acre realizada em Rio Branco. Serão distribuídas, a partir de quarta-feira, 24, 300 sopas embaladas e com colher no ginásio da Escola Jader Machado, partindo posteriormente para entregas em abrigos da cidade.

Entrega de cestas básica e água para vítimas das enchentes do Vale do Juruá. Foto: cedida

Na segunda-feira, 22,  a SEASDHM, juntamente com a Prefeitura de Cruzeiro do Sul e da primeira-dama Lourdes Lima, equipe de Bombeiros e Defesa Civil da cidade, entregaram na comunidade Lago do Tapiri (com 60 famílias) e Nova Olivença (com 40 famílias), cestas básicas e água mineral para pessoas atingidas pelas cheias do Rio Juruá.