Polícia Civil faz operação no Depasa e prende Tião Fonseca

O Depasa foi alvo de uma grande operação desencadeada pela da Polícia Civil esta manhã, cumprindo ordem judicial que resultou na prisão do ex-diretor-presidente do órgão, Tião Fonseca. Também realizou buscas e apreensões na casa do irmão do senador Márcio Bittar (MDB), o ex-diretor-financeiro do Depasa, o ex-vereador Edson Siqueira, conhecido por Edson Bittar.

A sede do Depasa foi alvo de mandados de busca e apreensão, além da empresa Bucar Engenharia, de propriedade da esposa de Fonseca, Delba Nunes Bucar.

A operação foi desencadeada depois que investigadores da Delegacia de Combate à Corrupção e aos Crimes contra a Ordem Tributária e Financeira (Decor) constataram evidências de reiterados desvios de recursos públicos enquanto Tião Fonseca esteve à frente do órgão. Uma das ações investigadas foi o pagamento de R$ 500 mil para a empresa da própria esposa. assim que assumiu o Depasa. A denúncia foi feita naquela época por servidores do órgão e pela imprensa, com Tião buscando toda sorte de justificativas para seu ato.

Os mandados de prisão, buscas e apreensões foram expedidos pelo juiz Cloves Augusto Alves Cabral Ferreira, da 4ª Vara Criminal da Comarca de Rio Branco.

Essas denúncias, de conhecimento público pela imprensa, chegaram ao governador que enfim, semanas atrás decidiu exonerar Tião Fonseca do cargo, mesmo ele afirmando em redes sociais que teria pedido demissão para trabalhar no gabinete do senador Márcio Bittar, seu padrinho político. Isso aconteceu no início do mês de julho. Já Edson Siqueira também foi exonerado do cargo de diretor do Depasa, mas logo em seguida foi nomeado como diretor da Fundação Elias Mansour (FEM), por indicação novamente de Márcio Bittar.

Ao longo do dia, a Polícia Civil deve divulgar mais detalhes da operação,