Polícia Civil prende trio que praticava tiro com escopeta


publicidade

Com uma história sem qualquer fundamento, investigadores da Polícia Civil do Município de Brasiléia, detiveram três indivíduos que estava no Bairro Leonardo Barbosa na tarde desta quinta-feira, dia 25, praticando tiro ao alvo com uma escopeta calibre 16.

O acionamento dos agentes aconteceu devido moradores ficarem com medo que algo de pior pudesse acontecer, uma vez que os tiros estavam acontecendo no quintal de uma casa e poderia atingir um inocente pela redondeza.

Josias Ferreira (25), Diemesson Silva de Souza (19), já estavam sendo investigados pelo possível envolvimento em um assalto ocorrido semana passada no km 19 da Estrada do Pacífico (BR 317), além de Nilsandro de Souza Pinheiro (18), que estaria em débito com a justiça.

Na delegacia, o trio tentou convencer os agentes que estariam apenas praticando tiro com a escopeta, para que pudessem realizar caça na zona rural, o que obviamente não foi levado à sério, mas, teriam a chance de convencer o delegado plantonista, Mardilson Vitorino.

Os três seriam flagranteados pelo delito de posse ilegal de arma de fogo e ficarão a disposição da justiça para as determinações de praxe.

Ao mesmo tempo em que os suspeitos de envolvimento no assalto no km 19 eram conduzidos para uma das celas, os principais acusados que foram presos no dia 19 passado, Olaydson Góis da Silva (19) e Thiago Batista (27), conseguiram um alvará de soltura para responder em liberdade sobre o crime.

A dupla fica impossibilitada de sair do município de Brasiléia sem comunicação, frequentar bares, ingerir bebidas alcoólicas, consumir entorpecentes, além de estar em casa a partir das 22 horas.

No entendimento do magistrado da Comarca, Olaydson e Thiago, possuem endereço na cidade, trabalham e não oferecem perigo para a sociedade.

Horas depois após serem ouvidos, Diemesson que teria participado de um assalto a um mercado de Brasiléia no mês de agosto de 2016, foi liberado junto com Josias. A dupla teve a prisão negada pelo judiciário.