Polícia Militar do Acre qualificou a tropa e intensificou ações de combate à criminalidade em 2020

O ano de 2020 ficará marcado como um período atípico na História Contemporânea. Devido à pandemia da Covid-19, as relações de trabalho foram modificadas e os serviços presenciais deram espaço para o trabalho remoto, pois as pessoas tiveram que permanecer em suas residências. Entretanto, uma das classes profissionais que se mantiveram na linha de frente, no cumprimento de seus deveres constitucionais, foram os policiais militares.

O comando da Polícia Militar do Acre (PMAC) buscou cumprir todas as medidas necessárias para oferecer segurança aos seus profissionais que, diariamente, continuaram nas ruas, na missão de proporcionar segurança à comunidade. Máscaras de proteção, álcool 70% e testagem para a Covid-19 foram disponibilizados para o efetivo. Em uma união de esforços, a corporação intensificou as suas ações no combate à criminalidade, sem deixar de lado as medidas de prevenção à disseminação da pandemia.

Operações policiais planejadas resultaram em muitas apreensões e prisões

Com um trabalho prévio de estudos e planejamentos, visando o emprego pontual de seu efetivo, a corporação realizou, em pontos estratégicos do Estado do Acre, 8.755 operações policiais, que são consideradas um reforço ao policiamento convencional diário, desempenhado pelos batalhões de área e unidades especializadas.

Com esses esforços, foram efetuadas 274.389 abordagens e a PM conseguiu apreender 738 armas de fogo e recuperar 904 veículos roubados, além de capturar 410 foragidos da Justiça e conduzir às delegacias de polícia 8.682 pessoas.

Para o comandante-geral da corporação, coronel Paulo César Gomes, o profissionalismo da tropa é marca determinante na composição dos números operacionais. “Mesmo diante de todas as adversidades de 2020, nossos policiais militares mantiveram-se altivos, comprometidos e dedicados”, destacou.

Qualificação para melhorar atendimento à comunidade

Em 2020, o comando da Polícia Militar do Acre priorizou uma política de aperfeiçoamento e qualificação profissional da tropa, com a realização de cursos, estágios e nivelamentos. Também foram realizadas as formações continuadas, específicas da carreira, como o Curso de Formação de Cabos (CFC), Curso de Habilitação de Oficiais Administrativos (Choa) e capacitação de militares no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO), que colocam o policial militar em contato com as mais recentes formas de atuação na segurança pública.

Cursos de formação garantiram a qualificação dos policiai

Além disso, o ano também foi marcado pela capacitação e formação dos 243 novos policiais militares, que, desde abril, já atuam diariamente no serviço de policiamento ordinário, reforçando as ações de segurança.

Houve ainda a formação de profissionais em áreas específicas, com cursos de: Inteligência; Operação de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPAs); Noções Básicas de Navegação com Sistemas de Posicionamento Global (GPS), e os Estágios de Intervenção Rápida e Ostensiva (Eiro) e de Policiamento Ambiental (Epam).

Ainda segundo o coronel Paulo César Gomes, a capacitação é um estímulo ao bom desempenho da atividade policial. “O aprimoramento é sempre importante, tendo em vista que, quando o policial retorna ao banco escolar para as instruções, adquire conhecimentos e isso tem um retorno na melhoria de qualidade do serviço ofertado à população”, afirma.

No ano de 2021, a corporação seguirá a política de qualificação do efetivo, com a realização de cursos como o de Ações Táticas Especiais (Cate), que se inicia em janeiro e habilita os profissionais a trabalharem na Companhia de Operações Especiais (COE/Bope), o de Cinotecnia, para aqueles militares que desejam trabalhar com policiamento com cães, além dos cursos voltados para o aprimoramento técnico e da carreira militar, como o de Oficial Administrativo (Choa), de Aperfeiçoamento de Sargentos (CAS) e o de Formação de Sargentos (CFS).

Estruturação da corporação

Um desejo antigo da corporação era ter um espaço adequado para o treinamento tático de sua tropa. O dia da entrega da Casa Tática, em janeiro de 2020, foi marcante para a Polícia Militar, que agora conta com um ambiente propício para a capacitação dos seus profissionais, em um espaço que permite simular a entrada tática em diversos espaços, como casas, apartamentos e ambientes confinados.

Em relação à aquisição de materiais, a Polícia Militar recebeu, este ano, 110 rádios comunicadores, 65 motocicletas e 60 nobreaks, além de produtos balísticos e acessórios oriundos de convênio com a Força Nacional de Segurança Pública (FNSP): fuzis, lançadores de granada, cotoveleiras, joelheiras, coletes e capacetes balísticos, granadas de diversos modelos, espargidores e munições de variados calibres – reais e de treinos –, entre outros.

Consolidação do ensino militar

Uma metodologia de ensino com base na disciplina, na valorização do civismo e dos valores morais e éticos, assim o Colégio Militar Tiradentes, gerido pela Polícia Militar do Acre (PMAC), tem consolidado a cada ano o ensino militar no estado, destacando-se no desempenho do seu trabalho educacional. Em razão de todo o empenho, a

A instituição conseguiu alcançar 6 pontos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), referente ao ano de 2020.

Para o major da Polícia Militar, Agleison Alexandrino, diretor do colégio, essa pontuação, que está acima da média nacional do ensino fundamental II, é resultado de um trabalho conjunto de toda a equipe educacional. “O índice é uma vitória, pois estamos trabalhando com um pensamento de fazer a diferença e de contribuir cada vez mais com a educação do nosso estado e o resultado é satisfatório”, destacou o oficial.

Projetos e ações sociais da Banda de Música da PM

Buscando proporcionar um momento alegre e descontraído para as famílias encerradas em suas residências devido à pandemia, a “Furiosa”, como é chamada a Banda de Música da PMAC, iniciou a ação social denominada Patrulha Musical. Em cima do caminhão do Corpo de Bombeiros Militar do Acre (CBMAC) ou mesmo a pé, a Furiosa percorreu vários bairros de Rio Branco e municípios vizinhos, protagonizando verdadeiros shows. Nessas oportunidades, os militares também arrecadaram alimentos, que foram doados a famílias carentes.

O sucesso das apresentações foi tão grande, que ficou inviável para a Banda de Música contemplar todos os lugares solicitados. Então, a forma encontrada para alcançar um maior número de pessoas com sua música foi preparar um palco e transmitir ao vivo, via mídias sociais. Foram milhares de compartilhamentos, visualizações, comentários e curtidas.

Outra ação desenvolvida pela Banda de Música foi o projeto Cidadania e Segurança. A Furiosa garantiu a segurança e, ao mesmo tempo, entretenimento à população.

A terceira ação desempenhada pela Furiosa foi o projeto Tocando a Vida, em que a banda visitou vários centros médicos e casas de apoio, como o Lar Vicentino, Colônia Souza Araújo e Fundhacre, levando música para pessoas em tratamento de saúde, em estado físico ou emocional crítico.

De acordo com o comandante da Banda de Música da PMAC, major Djair Vasconcelos, além de levar alegria e descontração para as pessoas por meio da música, os policiais da banda também foram empenhados, por alguns meses, no policiamento ostensivo, durante a madrugada, para coibir furtos aos comércios fechados.

Coordenadoria de Polícia Comunitária – Proerd/Escolar

O tradicional Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd) foi outro projeto da Polícia Militar do Acre (PMAC) que também teve que se adaptar à nova realidade mundial. A alternativa foi, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação (SEE), usar a tecnologia para que as atividades continuassem. O Proerd em Casa foi implementado e atendeu 5.053 alunos do 5° ao 9° ano, da rede pública e privada, da capital e do interior do estado.

Policiamento Escolar

O Policiamento Escolar realizou 9.600 visitações nas escolas, diversas palestras e atendeu mil pais e alunos. Neste ano, o Policiamento Escolar fez uma parceria com o projeto Amigos Solidários e distribuiu duas mil cestas básicas nos bairros periféricos de Rio Branco e municípios do interior do estado, como Manoel Urbano, Assis Brasil, Xapuri, Bujari, Porto Acre e Senador Guiomard.

Escolas cívicos-militares

De acordo com o tenente-coronel Denilson Lopes, coordenador do Policiamento Comunitário, o ano de 2020 também ficou marcado pela criação e implementação das escolas cívicos-militares nos municípios de Cruzeiro do Sul e Senador Guiomard, que supriram uma demanda de 1.680 alunos da rede pública de ensino.

O modelo de escola cívico-militar é o conjunto de ações promovidas com vistas à gestão de excelência nas áreas educacional, didático-pedagógica e administrativa, baseada em padrões de ensino adotados pelos colégios militares do comando do Exército, das polícias militares e dos corpos de bombeiros militares.