Posse do prefeito e dos vereadores será presencial, na Câmara

Cezar Negreiros

A solenidade de posse do prefeito Tião Bocalom (Progressistas), da vice-prefeita Marfisa Galvão (PSD) e dos 17 novos vereadores de Rio Branco será presencial na tarde dessa sexta-feira (dia 1), por volta das 16 horas. O evento acontece no plenário da Câmara Municipal, com a presença das autoridades convidadas para evitar aglomeração, mas a solenidade será transmitida para a população rio-branquense, através do canal do You Tube e da página do Facebook do Parlamento Municipal.

Em decorrência da segunda onda da covid-19, a solenidade acontecerá apenas com a presença dos eleitos e autoridades convidadas dos demais poderes. O prefeito progressista será 101º gestor municipal comandar a prefeitura de Rio Branco pelos próximos quatro anos. Como Prefeito, ao lado da vice Marfisa e dos 17 vereadores, “vamos trabalhar o tempo todo para desenvolver nosso querido município e melhorar a qualidade de vida de nossa população, por meio do nosso projeto Produzir para Empregar”, prometeu Bocalom, em uma postagem nas redes sociais.

O novo gestor municipal pretende anunciar o seu secretariado, assim que tomar posse. Os rumores que deve reduzir as 11 Pastas herdadas da gestão anterior de Socorro Neri (PSB), para conter despesas nos primeiros meses da sua gestão.

A atual Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) pode ser incorporada a nova Secretaria Municipal de Agricultura e Pecuária, enquanto a Secretaria Municipal de Zeladoria transformada em uma coordenadoria da Secretaria Municipal de Infraestrutura e a Fundação Cultural anexada a Secretaria Municipal de Educação (Semec).>Por enquanto, a única com a nomeação segura é a esposa do senador Petecão Marfisa Galvão que deve acumular a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos.

O senador Sergio Petecão (PSD), em entrevista concedida na Rádio Difusora lamentou que não tenha sido procurado, pelo novo gestor para tratar dos nomes que foram escolhidos para ajudar na sua gestão. “Bocalom tem o direito de montar a equipe que ele quiser, lutou muito por isso e espero que dê certo”, disse em tom de resignação.