Prefeito cruzeirense discorda de fechamento do comércio

Prefeito Clodoaldo Rodrigues ignora aumento de casos

Cezar Negreiros

Com a chegada da segunda onda da Covid-19, o prefeito de Cruzeiro do Sul Clodoaldo Rodrigues (Progressistas), manifesta contrário ao fechamento dos estabelecimentos comerciais no município do Vale do Juruá. Declarou que não é justo decretar um novo lockdown, porque a população cruzeirense precisa trabalhar para suportar a travessia da crise que castiga o estado desde a chegada da pandemia. “As autoridades não decretaram a mesma medida em Rio Branco, porque tem segundo turno?”, questionou o gestor municipal.

Os donos de restaurantes e bares da capital acreana discordam das medidas de fechamento dos estabelecimentos sugerido pelo Comitê Acre sem Covid. A diretoria da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes no Acre (ABRASEL-AC) defende a redução dos 50% dos clientes, mas resistem à ideia de fechamento das fechar as portas dos estabelecimentos temporariamente. Com o possível retorno da bandeira amarela em virtude do aumento dos casos de covid-19, os estabelecimentos comerciais somente poderia atender por delivery. “Defendemos que bares e restaurantes continuem abertos com 30% da sua capacidade, mas seguindo os protocolos de biossegurança”, sugeriu o presidente da ABRASEL-AC, Paulo Brum.

O temor do setor que muitos que fecharem as suas portas não retomem as suas atividades econômicas. Cerca de 710 empresas fecharam as suas portas, com o isolamento social do primeiro semestre que durou quase 100 dias. “Se tiver de fechar novamente, muitos comerciantes vão quebrar, porque muitos deles têm contas para pagar”, observou Brum.

O médico infectologista Alan Areal destacou que as unidades de saúde registrou um aumento de pacientes infectados em busca de tratamento. Somente em duas semanas foram contabilizado 81,6% de novos casos, em comparação com o mesmo período de outubro. O levantamento apontou que até o dia 16 de outubro tinha sido registrado 1.376 casos positivos, mas até a última segunda-feira (dia 16) já tinha contabilizado 2.499 novos casos da doença. O boletim epidemiológico do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) apontou 709 óbitos desde a primeira morte em abril deste ano, mas 250 novos casos da doença nas últimas 24 horas, o estado contabiliza agora 33.725 infectados.

Em contrapartida, 118 pacientes que tiveram complicações clínicas continuam internadas nas unidades hospitalares. Desde a chegada da pandemia notificaram 91.729 casos suspeitos, mas 57.638 casos foram descartados. Atualmente 366 exames de RT-PCR seguem aguardando análise pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre (Lacen) ou pelo Centro de Infectologia Charles Mérieux.