Prefeitura tem dificuldade em indicar um nome para presidir EMURB

A prefeitura bate cabeça para conseguir compor a direção da emurb a empresa de urbanização do município. Existem pagamentos que precisam ser feitos e não tem ninguém para assinar. Dos três nomes enviados a Câmara de vereadores dois deles não preenchem os requisitos para o cargo: o engenheiro elétrico Aluízo Veras, que assumiria a vaga de diretor administrativo e Alex Plácido da Costa, como diretor de operações.

Ambos foram barrados por causa de uma norma federal que determina as regras para a nomeação de diretores de empresas de economia mista. Os preteridos devem ter 10 anos de experiência na inciativa privada ou 4 anos ininterruptos no setor público. S e foi candidato ou teve qualquer participação política partidária, não pode assumir os cargos de direção das empresas.

Apenas o engenheiro José Assis Benvindo, indicado para o cargo de presidente da emuerb se enquadra nos requisitos.

Segundo o secretário de casa civil, Artur Neto, outros nomes estão sendo avaliados e a lista deve ser preparada ainda essa semana e enviada a câmara para que seja homologada. “Temos que encontrar profissionais que se enquadre a lei, temos bons nomes, mas com tantas regras é difícil, mas já estamos com duas pessoas que poderão ser indicadas”, adiantou.

Uma lei municipal determina que todos os indicados devem passar pelo crivo da câmara de vereadores. Seria uma espécie de sabatina, mas, essa etapa só começa, quando os nomes enviados respeitarem a lei federal.

A Emurb já foi alvo de investigação por parte da polícia civil. O diretor presidente Jackson Marinheiro, foi acusado de desviar recursos da empresa e deixá-la em situação de falência. Marinheiro foi indicado pelo então prefeito Raimundo Angelim e sequer, seu nome passou na câmara. Na administração Marcos Alexandre, Marinheiro continuou no cargo e novamente os vereadores não foram ouvidos. Como a maioria era da base do prefeito, nunca foi tomada providência para sanar a irregularidade.

Agora sem um quadro qualificado, o prefeito Tião Bocalon, tem dificuldades em encontrar alguém que tenha o perfil para assumir a Emurb, e possa levantar a empresa responsável pelas obras de recuperação de ruas da cidade