Procuradores da República vão acompanhar plano para vacina inclusive no Acre

Cuidado é necessário apra evitar problemas na vacinação

O colégio de Procuradores da República oficiou o Ministério da Saúde cobrando a efetiva implantação do programa Nacional de Vacinação contra o COVID, recomendando a elaboração de planos regionais detalhados que possam ser acompanhados e cobrados em sua eficácia.

Anunciou também que as Procuradorias da República nos estados estão mobilizados para cobrar as providências necessárias e vão acompanhar de perto o processo de remessa e aplicação das vacinas, de acordo com o cronograma e com as metas a serem definidas em cada unidade da federação. O órgão considerou que até agora há pouca informação sobre métodos e a dinâmica da disponibilização da vacina e as fazes de aplicação, com metas explícitas em cada fase do processo.

Isso significa que o Acre terá, como outros estados, atenção especial dos Procuradores da república em cada fase do processo.

Isso acontece quando as primeiras vacinas recebem certificação internacional e quando a infraestrutura nacional começa a ser montada. Cuidado especial será dado ao fornecimento de insumos como seringas, agulhas e algodão.

No Acre, o governador Gladson Cameli se antecipou e firmou intenção de compra de 700 mil doses da Vacina coronavac junto ao governo de São Paulo e ao Instituto Butantã. Isso acontece diante da escalada da doença no Acre, que aponta crescente número de casos confirmados, seja na rede oficial, seja nos testes rápidos em redes de farmácias.

Nesses testes rápidos, que alcançaram o total de 110.046, superior aos 108.801, mil a mais que na última semana de novembro os resultados positivos cresceram para 27,28% contra 26,66% na semana anterior, aumento de 0,62% na taxa de positividade.

Só nas últimas 24 horas, até a tarde de sábado, o estado registrou mais 500 casos da doença, chegando a quase 40 mil infectados, com um óbito em Rio Branco.