Projeto Aulas em Casa começa dia 22 de junho pelo rádio, TV e Internet

O secretário de Educação, Cultura e Esportes (SEE), professor Mauro Sérgio Cruz e a diretora de ensino, professora Denise dos Santos, se reuniram por webconferência, com representantes de instituições ligadas a Educação. Participaram integrantes da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa,  Conselho Estadual de Educação (CEE) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime). O objetivo foi o alinhamento de ações na continuidade do planejamento em torno das aulas remotas e as ações que estão sendo realizadas pela SEE desde o início da pandemia.

Ao agradecer a presença de todos, o secretário afirmou que “Está sendo uma realidade nova para todos nós, com essa pandemia, que exige nossa adaptação, mas o esforço de todas as equipes de ensino, tanto da SEE quanto das escolas precisa ser reconhecido nesse momento”, afirmou.

Com relação ao projeto de aulas remotas, o Aula em Casa, o secretário Mauro Cruz revelou que a algumas barreiras ainda estão sendo vencidas. Na TV Aldeia, o sistema ainda é analógico, enquanto outras emissoras o sinal não chega a número adequado de municípios. No final. Esta semana, a Procuradoria Geral do Estado (PGE) autorizou a SEE a firmar parceria com a Rede Amazônica, pela rede Amazon Sat. A previsão é de início de transmissões dia 22 de junho e também pela internet.

Já as audioaulas serão retransmitidas pelo sistema público de comunicação, via rádios Aldeia e Difusora, com início também no dia 22 de junho.

As gravação das aulas começou no dia 6 de abril, de acordo com a professora Denise dos Santos. Já foi gravado um pouco mais de um mês de aulas, abrangendo todas as séries.

A Secretaria vai disponibilizar, também, materiais didáticos impressos para aqueles alunos que não dispuserem, nesse momento, de internet para realizar o acompanhamento das aulas remotas online

“De acordo com um levantamento que realizamos junto às escolas, pelo menos 80% dos alunos estão sendo alcançados pela modalidade online, mas os pais que necessitarem por ir até a escola buscar o material impresso para que possamos chegar a todos os alunos”, explicou o secretário.