Queimadas anda estão sem controle no estado

Os incêndios causados por queimadas, por vandalismo ou por causas naturas devido ao calor estão crescendo em todo o estado. O depósito de inertes da Prefeitura de Rio Branco e o lixão da BR-364, em Sena Madureira pegaram fogo, liberando substâncias tóxicas em acidentes de difícil controle por parte dos bombeiros, porque o fogo se espalha por camadas subterrâneas e permanece oculto em grande parte. Dados da Secretaria de Meio Ambiente do Acre (Sema) mostram que quase 3 mil focos de queimadas já foram registrados até o a última semana do mês de agosto.

Em toda Amazônia Legal, já foram registrados 57.508 mil focos de queimadas. Só o estado do Mato Grosso acumula 15.252 mil focos, o que representa 26,5% do total registrado.

Com o aumento dos focos de queimadas, o governo do Acre decretou, no da 23 de agosto o estado de emergência.

Os municípios de Feijó, Tarauacá e Sena Madureira são os que mais registraram focos de queimadas entre 1º e 25 de agosto. Somados, as cidades têm 1.232 mil focos, sendo Feijó com 576, Tarauacá com 377 e Sena Madureira com 279.

Em Rio Branco, o total acumulado de focos de queimadas registrados no período avaliado foi de 200. A cidade com menor número de focos registrados é Rodrigues Alves, no Vale do Juruá, com apenas 7.

Em relação as cidades que mais registram focos por quilômetros quadrados, Acrelândia e Capixaba lideram o levantamento. Esses municípios têm maior densidade de ocorrência sobre as demais cidades acreanas.

A Reserva Extrativista Chico Mendes e do Alto Juruá também registram alta taxa de queimadas. Aumentaram também as queimadas urbanas em Rio Branco.