Quelônios e peixes são apreendidos em embarcação com destino ao estado do Acre

Polícia apreende quelônios capturados ilegalmente

Os investigadores da Delegacia Especializada da Polícia Civil do Amazonas (DEPC), em ação conjunta com a Secretaria de Meio Ambiente do município de Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus) apreenderam uma grande quantidade de quelônios e peixes durante o período defeso. A ação foi coordenada pelo policial civil, Gonzaga Rezende Junior, que contou com o apoio dos agentes ambientais Carlos Morais e Gerson Almeida, que tomaram conhecimento do crime ambiental na tarde da última quinta-feira (dia 14), por meio de denúncia anônima, de que uma embarcação que havia saído do município de Itamarati, transportando clandestinamente uma grande quantidade de animais silvestres. “A denúncia também relatou que a embarcação tinha como destino o município de Cruzeiro do Sul, no estado do Acre, mas que passaria aqui pelo porto de Eirunepé”, comentou o investigador.

Segundo o gestor, na manhã de hoje, a equipe de investigação, juntamente com os agentes ambientais, deslocou-se até o porto do município, onde foi realizada a abordagem da embarcação. Na ocasião foram encontrados, no porão do barco, diversos quelônios, entre tartaruga, tracajá e jabuti, além de peixes cuja pesca está proibida, por conta das espécies estarem em período de reprodução.

Conforme Gonzaga, os animais silvestres apreendidos foram soltos, pelos agentes ambientais na reserva da comunidade Águia, zona rural de Eirunepé, e os peixes distribuídos para entidades da região. “O tráfico de animais silvestres é considerado crime ambiental, com pena de seis meses a um ano, além de pagar multa fixada em R$ 5 mil por animal capturado”, finalizou o gestor.

Ainda com informações da autoridade policial, o dono da embarcação, um homem de 47 anos, foi indiciado por crime ambiental e responderá em liberdade. (Com informações da Assessoria da PCAM)