Reações no Acre contra fechamento de agências e demissões no Banco do Brasil

Apesar de movimentos da sociedade civil, de parlamentares e entidades de classe contra o anúncio de fechamento de pelo menos oito agências e postos de atendimento do Banco do Brasil no Estado, servidores da instituição reclamam que o sindicato dos Bancários no Acre ainda não se mobilizou da forma mais incisiva contra os cortes que representarão 5 mil empregos a menos em todo o país.

No Acre, está confirmado o fechamento de duas agências do BB na capital – Av. Ceará e segundo distrito, além do PAB Central, da agência da Catedral, em Cruzeiro do Sul, ficando apenas uma naquele município e das agências de Feijó, Bujari, Assis Brasil, Mâncio Lima e Xapuri.

Não foi divulgado, ainda, o número de servidores que serão dispensados no estado. Segundo fontes dos bancários da instituição, cerca de 800 já foram desligados de seus postos em todo o país.

As reações às medidas e após planos de enxugamento do banco foram tão fortes que o presidente Bolsonaro demitiu o presidente do Banco do Brasil, André Brandão, no cargo há quatro meses. Entretanto, o ministro Paulo Guedes ainda tenta reverter a decisão e manter Brandão no cargo.