Rio Juruá chega a 13,50 metros e desabriga famílias em Cruzeiro do Sul

O nível do Rio Juruá subiu mais 4 cm nas últimas 24 horas, em Cruzeiro do Sul, interior do Acre, e atingiu a cota de 13,50 m na manhã deste sábado (1). É a quarta maior cheia já registrada no município e a Defesa Civil já teve que retirar 19 famílias de comunidades que estão inundadas.

Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros

Até a manhã desta sexta 15 família tinham saído de casa mas na parte da tarde outras quatro solicitaram apoio das equipes que prestam assistência aos desabrigados e foram encaminhadas para casas na cidade por meio de aluguel social. Ao todo, são 75 pessoas desabrigadas.

Foto: Arquivo/Corpo de Bombeiros
Por conta da enchente, mais de 800 famílias estão há dez dias sem energia elétrica e a prefeitura teve que suspender as aulas das escolas e creches dos bairros Boca do Moa e Miritizal. O posto de saúde do Miritizal também foi afetado pela água e está com o atendimento ao público suspenso.
De acordo com o coordenador da Defesa Civil, José Lima, na manhã deste sábado mais duas famílias solicitaram apoio e as equipes de socorro foram designadas para avaliar a situação das moradias. “Se for avaliado que dedem sair, essas famílias serão retiradas imediatamente para evitar problemas maiores para os moradores”, assegurou Lima.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Rômulo Barros, mesmo com a previsão de vazante, a atenção na área ribeirinha se mantém diariamente e as equipes já se preparam para fornecer água tradada e mantimentos para várias comunidades.

“Esses serviços serão contínuos e se manterão até que possamos começar as ações de devolução das famílias, com os serviços de limpeza, distribuição de água e com o apoio de equipes de saúde pública”, disse Barros.

Segunda a Defesa Civil, o município poderá decretar estado de emergência, caso o nível do rio chegue ao nível de 13,60 m. Em Cruzeiro do Sul, já foi preparado um abrigo coletivo para acomodar as famílias afetadas pela enchente, casa o número de desabrigados ultrapasse 30 famílias. G1